Opinião

Gilberto Kassab: ‘Novos patamares para uma parceria’

Em artigo no jornal O Globo, o ministro Gilberto Kassab e a secretaria de pesquisa e inovação da Espanha, Carmen Vela, analisam acordos para projetos conjuntos entre agências brasileiras e espanholas

24/04/2017

FacebookWhatsAppTwitter

 

Gilberto Kassab, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações do Brasil

Carmen Vela, secretária de Estado de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Espanha

 

A parceria entre Brasil e Espanha é fecunda e bem-sucedida em muitas áreas, e em ciência, tecnologia, inovações e comunicações. Raízes históricas poderiam explicar parte do que já se alcançou. Mas o presente e o futuro apontam, de modo inegável, para resultados a serem alcançados por meio de fluxos de informação cada vez maiores e mais velozes. Resultados que deverão redefinir a ideia mesma de navegação, agora em tempos de globalização e de internet.

Se nossos países carregam tanta similaridade, também são notórias as semelhanças no setor em que atuamos e buscamos contribuir com o desenvolvimento dos dois países.

Mantivemos uma profícua reunião em fevereiro, quando de viagem oficial brasileira à Espanha. Serviu como prévia em ciência, tecnologia, inovações e comunicações para visita do presidente de governo Mariano Rajoy ao Brasil, nestes dias 24 e 25 de abril. Visita há muito aguardada e que se concretiza pelo reconhecimento do governo de Michel Temer sobre a importância de multiplicarmos potencialidades entre os países.

As semelhanças nos níveis de desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação favorecem parcerias bilaterais. Já firmamos um Plano de Ação em Ciência e Tecnologia e um acordo sobre cooperação em nanotecnologia. E iremos avançar mais.

E, por isso, na missão do presidente Rajoy, teremos importantes acordos de cofinanciamento de projetos conjuntos, envolvendo agências brasileiras e espanholas de pesquisa e ciência. O I Fórum Brasil-Espanha, a ser realizado em São Paulo, durante a missão espanhola, impulsionará essas discussões.

Prevê-se também a construção de um novo cabo submarino de fibra óptica entre a Europa e a América do Sul, em associação entre Espanha e Brasil, que ampliará a oferta e a velocidade de tráfego internacional, com redução de custos e incremento da segurança de dados.

Os dois países efetuam trocas comerciais que remontaram a mais de US$ 5,1 bilhões em 2016, com pauta variada. A Espanha é um dos maiores parceiros do Brasil quando se trata de investimentos em nível mundial. Em relação às exportações brasileiras para a Espanha, a pauta é diversificada e estimula o desenvolvimento da economia do país latino-americano.

Além disso, vale salientar a importância do aporte das empresas espanholas na década de 90 como contribuintes do desenvolvimento econômico do Brasil. Instalaram-se, cresceram e prosperaram. Geraram riqueza, empregos e contribuíram com o avanço de setores importantes, impactados pela tecnologia.

Brasil e Espanha estão prontos para embarcar em uma nova grande aventura em áreas de ponta, voltadas para o desenvolvimento econômico. Áreas que aliam inovações científico-tecnológicas ao que existe de mais moderno em comunicações.

A evolução da ciência, tecnologia, inovações e comunicações se reflete diretamente na vida dos cidadãos. Com a melhoria da qualidade dos serviços públicos nas áreas de transporte, comunicações, saúde e energia, entre outras. Sabendo disso, os dois países trabalham pela ampliação dos investimentos nesses setores e colocam em marcha políticas públicas impulsionadoras.

Quando a Espanha se reencontrou com o Brasil, há três décadas, em pouco tempo se tornou uma das principais investidoras no País. Agora, é a vez da Ciência, da Tecnologia, da Inovação e das Comunicações: a porta para o futuro. Brasil e Espanha têm as senhas de acesso nas mãos.

 

Artigo publicado no jornal O Globo em 24 de abril de 2017.

FacebookWhatsAppTwitter

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário!




*

FacebookWhatsAppTwitter