Tecnologia

Curso do PSD Mulher orienta sobre Twitter e Instagram

 

Cerca de 30 filiadas ao partido assistiram à aula, ministrada pelas jornalistas Juliana Zorzato e Milene Moreto.

 

As principais características e a importância do Twitter e do Instagram foram os assuntos abordados no terceiro módulo do curso Redes Sociais – mulher na política, promovido pelo núcleo paulista do PSD Mulher e a empresa de comunicação Inspira Conteúdo nesta quarta-feira (30), em São Paulo. Cerca de 30 filiadas ao partido assistiram à aula, ministrada pelas jornalistas Juliana Zorzato e Milene Moreto.

Juliana destacou que o Twitter – rede com cerca de 330 milhões de usuários no mundo – caracteriza-se por ser uma fonte primária de informação, sendo utilizada, principalmente, por formadores de opinião. “Todos os políticos estão lá. Prova disso é que o nosso presidente, Jair Bolsonaro, não fala mais com a imprensa, mas fala pelo Twitter”, exemplificou a jornalista.

Em relação ao Instagram, que em 2018 atingiu a marca de 1 bilhão de usuários em todo o mundo, Juliana lembrou que é uma das redes com maior potencial de crescimento e engajamento. No Brasil, do total de 57 milhões de usuários, 59% são mulheres.

“Antes só tinha foto, mas hoje o Instagram tem três formatos diferentes para colocar vídeos. O mais interessante é que se você quer ser candidata, quer ser referência em alguma causa, consegue conciliar o lado profissional e o pessoal. Você se aproxima um pouquinho mais do público que quer alcançar”, define Juliana.

A jornalista citou como exemplo de sucesso no Instagram a deputada federal Flordelis dos Santos de Souza, do PSD do Rio de Janeiro, que conta com 678 mil seguidores na rede social. Pastora e cantora gospel, Flordelis foi a quinta mais votada no Estado, com 196.959 votos.

Entusiasmada com o curso, a administradora de empresas Agda Rodrigues de Souza resolveu abrir sua primeira conta no Instagram logo após a terceira aula. “A vida é um aprendizado e hoje eu aprendi muito. A mulher tem muitos objetivos, metas a serem atingidas, e estamos vendo um caminho muito grande para isso nas redes sociais”, afirmou.

Já a autônoma Eliana Fazzani teve a oportunidade de rever seus conceitos sobre o Twitter e também decidiu baixar o aplicativo. “Eu achava que ele não seria importante para mim, que era obsoleto, e abdiquei dele. Hoje vi que ele traz muitos conhecimentos que a gente pode adquirir de forma rápida.”

Balanço

A coordenadora nacional do PSD Mulher, Alda Marco Antonio, fez uma avaliação positiva do curso, que já está rendendo resultados. “Estamos aferindo o progresso e o aproveitamento do curso acompanhando as páginas nas redes sociais de cada uma das companheiras filiadas que se inscreveram. Já notamos uma grande diferença, uma maior participação e objetividade, textos melhor elaborados, fotos mais cuidadosas e temas mais assertivos em relação ao que cada uma quer ter como sua bandeira política”, frisou Alda.