ELEIÇÕES 2018

Rio de Janeiro tem o maior número de candidatas do PSD

 

Helaide Teixeira: “Convencemos as mulheres de que a hora de vir para a política é agora.”

 

O PSD Mulher do Rio de Janeiro tem o maior número de candidatas da sigla em todo o País. Do total de 208 mulheres que concorrem pelo partido às Assembleias Legislativas, Câmara Federal e como suplentes em chapas para o Senado, 46 disputam os votos dos eleitores no Estado. São 27 candidatas a deputada estadual e 19 a federal.

São Paulo ocupa a segunda posição, com 21 concorrentes, seguido pelo Paraná (15). Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Minas Gerais dividem a quarta colocação (11) e Goiás e Bahia ficam em quinto lugar no ranking (8).

A coordenadora do PSD Mulher do Rio de Janeiro, Helaide Teixeira, atribui o resultado a um trabalho permanente de conscientização e estímulo à participação feminina, que sempre contou com o apoio do candidato a governador pelo partido no Estado, Indio da Costa. “É uma luta árdua, porque as mulheres estão desestimuladas pela situação do Brasil. Mas nós as convencemos de que a hora de vir para a política é agora. A mulher, como administradora da casa, poderá dar sua contribuição na administração do País. Além disso, tem esse nosso lado emotivo, sensível, que pode ser um grande diferencial”, explica Helaide.

A coordenadora ressalta que, além da quantidade, a nominata feminina do PSD é marcada pela qualidade das concorrentes, que possuem bandeiras políticas definidas e propostas consistentes. “Não temos nenhuma candidata ‘laranja’, aquela que só serve para tapar buracos. Todas estão muito engajadas em suas campanhas e representam diversos segmentos da sociedade.”

Câmara e Assembleia

Entre as candidatas do PSD do Rio de Janeiro estão lideranças como Andreia Zito, reconhecida principalmente pela militância na área da educação. Ex-deputada estadual (1999-2002 e 2003-2006), ela disputa novamente uma vaga à Câmara Federal, onde também exerceu dois mandatos (2007-2010 e 2011-2014) e destacou-se como autora do pedido de instalação e relatora da CPI das crianças e adolescentes desaparecidos. Além disso, atuou na relatoria da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público, responsável pela implantação do piso salarial dos profissionais do magistério da Educação Básica.

A relação de concorrentes à Câmara conta ainda com representantes evangélicos, caso da pastora Flordelis dos Santos de Souza, conhecida pelo trabalho social e por ter adotado 55 crianças em situação de rua. Já a advogada Consuelo Machado tem como bandeira política a acessibilidade e coordena no PSD Mulher um núcleo que se dedica à inclusão de pessoas com deficiência.

Na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa estão candidatas como a psicóloga Vera Nascimento, que ministra palestras voltadas à promoção da autoestima das mulheres; a premiada locutora Rosana Félix; a veterinária e ativista da causa animal Andrea Lambert; e a assistente social Lorena Santos.