GESTÃO

Belivaldo defende consórcio para desenvolver o Nordeste

O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), participou de reunião com nove governadores da região, que aprovaram criação de órgão cujo objetivo é tornar mais ágil a gestão pública

15/03/2019

FacebookWhatsAppTwitter

Belivaldo Chagas em reunião com governadores do Nordeste: “O consórcio vai ser uma ferramenta extremamente importante para facilitar a vida dos governos.”

 

Mais agilidade, economia e cooperação na compra de produtos e na oferta de serviços, em áreas como Saúde, Infraestrutura, Educação e Segurança Pública. Esses são objetivos do Consórcio Nordeste, cujo protocolo de criação foi assinado nesta quinta-feira (14), durante Fórum dos Governadores do Nordeste, realizado em São Luís (MA). Com o consórcio, os Estados nordestinos poderão realizar compras conjuntas, definir linhas de atuação comuns para atração de investidores e promover intercâmbio de servidores.

Após a assinatura do protocolo pelos nove governadores, cada Estado terá que aprovar a criação do consórcio com indicação de comitê técnico; aprovar na Assembleia Legislativa; elaborar e aprovar estatuto; elaborar Plano Orçamentário e Contrato de Rateio; definir prioridades e projetos iniciais.

Para o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), o consórcio unifica ainda mais a região, promovendo integração social e econômica. “O consórcio vai ser uma ferramenta extremamente importante para facilitar a vida dos governos. Um exemplo, de repente se precisa fazer uma licitação para a aquisição de medicamentos, que muitas vezes é tão complicada. Via consórcio, vai facilitar, diminuir o preço e, automaticamente, se faz com que todos acompanhem. Isso é apenas um exemplo, o consórcio é bastante amplo, faz com que trabalhemos em conjunto”, declarou Belivaldo.

A formação de consórcios entre Estados é prevista pela legislação e, por meio do Consórcio Nordeste, áreas como desenvolvimento econômico e social, infraestrutura, tecnologia e inovação, segurança pública, administração prisional e proteção do meio ambiente serão beneficiadas. Entre as principais vantagens, além da economia e uma maior cooperação, os Estados terão maior poder de venda, aumentando a exportação; força política junto às decisões nacionais; linhas de atuação conjuntas, atraindo mais investidores e gera mais emprego e renda.

O Consórcio facilitará o intercâmbio estudantil e profissional; a integração da infraestrutura por meio de projetos conjuntos; troca de tecnologia e conhecimento; a criação de fundos para facilitar financiamentos e obtenção de recursos; e a criação de parques industriais e polos tecnológicos.

FacebookWhatsAppTwitter

  0 Comentários

FacebookWhatsAppTwitter