ESPORTES

Câmara debate distribuição de recursos para futebol

Comissão aprova proposta de Fábio Mitidieri (PSD-SE) que muda a divisão dos recursos gerados pela Timemania e beneficia clubes de menor expressão, como Chapecoense, Confiança e Boa Esporte

26/11/2018

FacebookWhatsAppTwitter

O deputado Fábio Mitidieri

 

 

A atualização do cadastro de clubes da Timemania foi aprovada pela Comissão de Esporte (CESPO) da Câmara nesta quarta-feira (21. A proposta (PL 7.751/17) é de autoria do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD-SE), segundo quem a situação atual é injusta. Criado em 2008, o jogo de apostas das loterias da Caixa Econômica Federal (CEF) consolidou-se como uma das principais fontes de renda para os clubes de futebol, mas a divisão dos recursos e dos times que podem participar jamais foram revistos.

Metidieri lembra que “existem exemplos emblemáticos como a própria Chapecoense, o Boa Esporte de Minas e o Confiança de Sergipe, tradicionais equipes do futebol brasileiro, que não figuram na lista de agremiações disponíveis para aposta e não recebem recursos”.

Na prática, o montante destinado aos clubes de futebol decorrente das apostas é integralmente utilizado para pagamentos de débitos das instituições esportivas com a Receita Federal, Secretaria da Fazenda, INSS e até mesmo para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Em 2014, a loteria arrecadou R$ 425 milhões com as apostas dos times do coração. Deste valor, no entanto, apenas 22% é repassado aos times de futebol. Agora a matéria seguirá para análise das comissões de Finanças e Tributação (CFT) e de Constituição e Justiça (CCJC) da Câmara. A proposta também terá que passar pelo crivo das comissões do Senado Federal antes de ir para promulgação do presidente – que pode optar ainda por vetar a matéria.

Timemania

Atualmente, 98 times participam do Timemania. Além de sortear prêmios milionários, a Timemania é uma importante fonte de renda para os clubes de futebol do país. Para jogar, o apostador vai até uma loteria da Caixa e precisa acertar as sete dezenas sorteadas no concurso. No volante de aposta, também há um espaço para preencher o seu “time do coração”.

A divisão do dinheiro entre os 80 clubes inscritos e os 18 fora da cartela é feita em grupos. O grupo principal é formado pelos 20 times que mais receberam apostas na temporada. Esse grupo tem direito a 65% do montante que é repassado pela Caixa. Em 2016, cada time de futebol do grupo principal recebeu R$ 1,8 milhão.

FacebookWhatsAppTwitter

  0 Comentários

FacebookWhatsAppTwitter