São Paulo

Decantadores são instalados na ETE Samambaia

Obra que vai garantir o tratamento de todo o esgoto da região central do município paulista está 90% concluída.

12/06/2017

FacebookWhatsAppTwitter

s equipamentos foram içados por guindastes que já haviam carregado outros 12 módulos que também fazem parte do sistema hidráulico da ETE.

 

 

A instalação dos decantadores da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Samambaia, no município de São Pedro (SP), administrado por Hélio Zanatta, do PSD, marca mais uma importante etapa da obra que vai garantir o tratamento do esgoto de toda a região do centro urbano.

Cada um dos dois decantadores instalados pesa 2.000 quilos. Os equipamentos foram içados por guindastes que já haviam carregado outros 12 módulos que também fazem parte do sistema hidráulico da ETE.

Com a instalação, o cronograma de execução da obra, considerada a parte interna, chega próximo aos 90%, segundo avaliação da Penascal Engenharia e Construção Ltda., empresa responsável pela construção da ETE.

O planejamento da construtora prevê o início das obras relacionadas à parte elétrica para breve. Após estas ações, a obra entra na fase de acabamento.

A implantação do Sistema de Afastamento, linha de recalque e Estação Elevatória de Esgoto Santa Mônica e da primeira etapa da Estação de Tratamento de Esgoto Samambaia recebeu investimento de R$ 8,9 milhões, originários do Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos), da Secretaria Estadual de Recursos Hídricos.

A construção da ETE representa um grande ganho ambiental para São Pedro, além de atender a um acordo estabelecido entre o município e o Ministério Público.

Técnica – O consultor técnico do Saaesp (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de São Pedro), José Augusto de Barros Seydell, destaca que o processo de tratamento que vai funcionar na ETE é considerado um dos mais modernos, com medição de vazões, tratamento preliminar (sujeiras grossas), tratamento secundário, com a concepção integrada de reatores aeróbios e anaeróbios, queima de gás, desinfecção e tratamento do lodo gerado.

FacebookWhatsAppTwitter

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário!




*

FacebookWhatsAppTwitter