ELEIÇÕES 2018

Fábio Trad, do PSD, foi o segundo mais votado no MS

O deputado federal do Mato Grosso do Sul recebe quase 90 mil votos e vai agora para seu terceiro mandato na Câmara Federal. Ele é considerado um dos mais atuantes da Casa

11/10/2018

FacebookWhatsAppTwitter

Trad: votos recebidos significam a aprovação pelos eleitores de um mandato que em apenas oito meses apresentou mais resultados que o dos outros colegas de bancada.

 

Com quase 90 mil votos, o deputado federal Fábio Trad, do PSD do Mato Grosso do Sul, foi reeleito no domingo (7), como o segundo mais bem votado entre os candidatos do Estado à Câmara Federal.

O resultado confere a Fábio Trad seu terceiro mandato como deputado federal, o segundo como titular, uma vez que na atual legislatura ocupa a cadeira deixada por Carlos Marun (MDB-MS). Com 7,21% das urnas (89.385 votos), esta foi a votação mais expressiva do deputado, que em 2010 havia obtido 82.121 votos (6,41%) e em 2014, 67.508 (5,29%).

Os votos recebidos significam a aprovação pelos eleitores de um mandato que em apenas oito meses apresentou mais resultados que o dos outros colegas de bancada. Além de ‘ficha-limpa’ e o que menos utiliza recursos dos cofres públicos, Fábio Trad é o mais assíduo e atuante. Único com 100% de presença nas sessões plenárias, reuniões de comissões e também nas votações nominais deste ano, protocolou sozinho 18 projetos de lei na Câmara Federal, ou quase a totalidade dos 22 projetos apresentados pelos demais sete parlamentares de Mato Grosso do Sul somados.

O desempenho colocou o deputado entre os cinco melhores do Brasil segundo o Políticos.org; os 30 mais atuantes de acordo com o Congresso em Foco; e na lista dos “100 Cabeças do Congresso Nacional”, levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP).

“Quero agradecer primeiramente a Deus e a todo o meu time. Essa vitória é de todos nós, pois sozinho eu não teria conquistado nada. Não foi uma campanha fácil, principalmente por conta do descrédito de boa parte da população nas instituições políticas. Mas também foi uma oportunidade de mostrar, a partir de números e ações efetivas do nosso trabalho, que ainda há pessoas honradas que acreditam na política como a arte de buscar o bem comum, o bem de todos, especialmente dos mais necessitados”, celebrou o deputado em discurso no comitê.

FacebookWhatsAppTwitter

  0 Comentários

FacebookWhatsAppTwitter