Radiocomunicação

Kassab discute melhoria da segurança pública no ABC

Ministro Gilberto Kassab visitou sede do Consórcio Intermunicipal Grande ABC em Brasília e analisou demanda das prefeituras para aprimorar comunicação das guardas municipais

06/09/2017

FacebookWhatsAppTwitter

O ministro Kassab: “A compra de novos equipamentos poderia ser financiada pelo BNDES”

 

Para tratar de demanda das prefeituras da região relacionadas à digitalização e à integração dos sistemas de radiocomunicação das Guardas Civis Municipais (GCMs), o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, visitou nesta terça-feira (5) o escritório do Consórcio Intermunicipal Grande ABC em Brasília.

No encontro, Kassab sugeriu um diálogo entre a secretária de Radiodifusão do MCTIC, Vanda Nogueira, e o prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira – indicado pelo Consórcio para discutir uma solução para o tema. “A compra de novos equipamentos poderia ser financiada pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social)”, propôs o ministro. “Coloquem essa preocupação com os custos ao negociar a linha de crédito, porque não são rádios comerciais, mas públicas.”

Segundo o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, que preside o Consórcio, a transição de analógico para digital nos sistemas das GCMs deve exigir de R$ 15 milhões a R$ 20 milhões dos sete municípios do Grande ABC – Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul.

Também participaram da reunião os prefeitos de Santo André, Paulo Serra, de São Caetano do Sul, José Auricchio, de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira, e de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão, e o secretário municipal de Segurança Pública e Defesa Civil de Mauá, coronel Paulo Barthasar.

Consórcio Grande ABC

Fundado em dezembro de 1990 por iniciativa dos prefeitos das cidades que formam o ABC, o Consórcio busca, desde então, o desenvolvimento regional. A entidade surgiu para consolidar o relacionamento entre os municípios da região, a fim de planejar, articular e definir ações de caráter local.

A partir de sua transformação em consórcio público, em 2010, o grupo conquistou o direito de receber repasses estaduais e federais para programas e projetos que atendam às prioridades dos municípios, além de lançar processos licitatórios e articular parcerias com outras entidades.

Em junho de 2017, a entidade paulista inaugurou sua sede em Brasília, com objetivo de aproximar as sete cidades de programas, projetos e convênios do governo federal, facilitando a viabilização de ações em benefício da região. O escritório se localiza próximo à Esplanada dos Ministérios.

FacebookWhatsAppTwitter

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário!




*

FacebookWhatsAppTwitter