ECONOMIA

Meirelles defende reformas para o combate ao déficit primário

Durante audiência pública no Senado, ministro da Fazenda ressaltou importância do ajuste fiscal proposto pelo Governo Federal, para que o País comece a reverter a dívida do setor público nos próximos anos

07/11/2017

FacebookWhatsAppTwitter

Em audiência pública no Senado, ministro Meirelles disse acreditar que a reforma da Previdência seja aprovada ainda este ano

 

 

Em audiência pública da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, realizada nesta terça-feira (31), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, voltou a defender as medidas de ajuste fiscal propostas pelo Governo Federal e disse que, se as reformas continuarem avançando, o déficit primário do setor público começará a ser revertido a partir de 2021. Ainda segundo o ministro, posteriormente, o País poderá conquistar crescentes resultados positivos, chegando a um superávit de 2,4% em 2026.

“A aprovação das reformas possibilitará, inclusive, a redução dos juros reais de forma sólida para o Brasil”, destacou o ministro. Segundo Meirelles, o ajuste “tem de vir de mudanças na despesa obrigatória, em especial, da Previdência”.

O ministro disse acreditar que a reforma da Previdência seja aprovada ainda este ano. Alertou que é necessário que se tenha cuidado para não prejudicar o próximo governo, caso a solução a ser encontrada implique em uma reforma mais enxuta que a defendida pela equipe econômica.

Perguntado sobre como recebia o resultado de uma recente consulta feita pelo Senado a especialistas, segundo a qual a Previdência não seria deficitária, Meirelles frisou que “essa questão não deve ser objeto de opinião”, e que os cálculos não levam em conta gastos com saúde e assistência social.

FacebookWhatsAppTwitter

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário!




*

FacebookWhatsAppTwitter