PSD Mulher

Mônica Cattani defende os animais e combate violência contra mulheres

Secretária do partido em Mairinque, no interior paulista, ela também quer promover na política os valores positivos ensinados pelo pai, Oberdan Cattani, um dos maiores ídolos da história do Palmeiras

13/04/2018

FacebookWhatsAppTwitter

“Sou espontânea e procuro ajudar todo mundo. Esse é meu jeito de ser. Não tenho vícios políticos, mas boa vontade e iniciativa”, afirma Mônica

 

O amor pela natureza, a solidariedade e a defesa da ética marcam a trajetória de Mônica Cattani, secretária do diretório do PSD de Mairinque, município de cerca de 46 mil habitantes do interior paulista. Apaixonada por animais desde a infância no bairro da Pompeia, na zona Oeste de São Paulo, ela cuida voluntariamente de 49 cachorros, principalmente vira-latas.

Os cães recebem cuidados na chácara onde Mônica vive desde 2002, quando decidiu trocar a agitação de São Paulo pela simplicidade da vida rural. “Nessa época, eu via muitos animais abandonados nas estradas rurais e, aos poucos, fui acolhendo. Hoje, três pessoas me ajudam com o valor apenas da ração dos três cachorros que deixaram comigo. Mas faço tudo sozinha: cuido, dou toda a estrutura, levo ao veterinário, sem a ajuda de uma ONG ou da Prefeitura”, explica Mônica, de 54 anos.

Além da causa ambiental, ela tem entre suas principais bandeiras políticas o empoderamento feminino e o combate à violência contra as mulheres. Mônica luta para implantar em Mairinque um projeto que ofereça apoio psicológico e capacitação profissional às vítimas de agressões domésticas.

“Na minha região, infelizmente há muitos casos de violência doméstica e muitas mulheres não podem sair de casa porque não tem para onde ir, já que dependem desses homens. Então, apanham e ficam quietas. Queremos que elas possam aprender uma profissão e tenham alguma renda”, frisa a secretária do partido em Mairinque. 

Valores familiares

Filha do ex-goleiro e um dos maiores ídolos do Palmeiras, Oberdan Cattani — que morreu em 2014, aos 95 anos, em decorrência de uma infecção pulmonar —, Mônica faz questão de destacar o orgulho que sente pelas conquistas do pai e o quanto ele foi importante na formação de seu caráter. Formada em Comunicação Social, com habilitação em Marketing, pela ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) e pós-graduada em Administração de Empresas pela FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado), ela ingressou no PSD há cerca de dois anos.

Os valores morais herdados do pai, a disposição para buscar seus objetivos e a autenticidade norteiam sua atuação política. “Sou espontânea e procuro ajudar todo mundo. Esse é meu jeito de ser. Não tenho vícios políticos, mas boa vontade e iniciativa. Acho que isso é o que vale”, afirma.  Mônica também ressalta o incentivo que sempre recebeu da coordenadora nacional do PSD Mulher, Alda Marco Antonio. “Nossa cumplicidade e cooperação se baseiam na semelhança de valores e na força feminina que compartilhamos”, sintetiza.

FacebookWhatsAppTwitter

  1 Comentários

FacebookWhatsAppTwitter