Educação

Santa Catarina investe no ensino em tempo integral

O governador Raimundo Colombo (PSD) diz que seu Estado vai continuar investindo na qualidade do ensino. “Educação é o vetor com maior capacidade de transformação”, afirma

16/05/2017

FacebookWhatsAppTwitter

O governador Raimundo Colombo e o ministro da Educação, Mendonça Filho, visitaram a Escola de Educação Básica Annes Gualberto, de Joinville.

 

Santa Catarina é um dos primeiros Estados brasileiros a colocar em prática as propostas do plano nacional de educação no sentido de implantar o modelo de ensino médio em tempo integral. Esse fato foi lembrado esta semana pelo governador catarinense Raimundo Colombo (PSD), durante visita, com o ministro da Educação, Mendonça Filho, à Escola de Educação Básica Annes Gualberto, de Joinville, que oferece ensino médio em tempo integral para 92 alunos do primeiro ano, com o acompanhamento de 17 professores.

O governador lembrou que “a educação é o vetor mais importante, fundamental e com a maior capacidade de transformação. Já tínhamos experiências anteriores, mas agora é consolidado, os desafios hoje se impõem, porque se vê toda uma desestruturação da sociedade, um aumento da violência, então é preciso proteger, criando princípios, valores e capacitação técnica”.

Com apoio do Instituto Ayrton Senna e Instituto Natura, o ensino médio em tempo integral de Santa Catarina é resultado de um edital do Ministério da Educação com a Secretaria de Estado da Educação. Além da ampliação do tempo de aulas, das 7h30 às 17h15, o diferencial está na formação multidisciplinar dos jovens.

“É um projeto que cada vez mais se expande e assegura um padrão de qualidade educacional extremamente elevado, além de combater o grande problema que existe na educação que é a evasão escolar. O jovem, muitas vezes, quando está fora da escola é vítima da violência e outras protagoniza o ambiente de violência. Escola em tempo integral, além de garantir educação de boa qualidade, no ponto social resguarda e protege os jovens”, salientou o ministro.

No programa, as disciplinas tradicionais são integradas em quatro áreas de conhecimento: Matemática, Linguagens, Ciências Humanas e Ciências da Natureza, unindo teoria e prática em diferentes matérias. Além disso, os núcleos articuladores trabalham o desenvolvimento dos jovens: projeto vida, voltado ao mundo do trabalho e à psicologia; estudo orientado e projeto de intervenção e pesquisa, com atenção aos aspectos emocionais e cognitivos dos estudantes. Em Santa Catarina, o ensino médio integral é ofertado em 15 escolas.

A professora de português Luizilda Lúcia Silvéria destacou que a proposta apresentou um novo jeito de ensinar a partir da necessidade de manter o adolescente motivado. “Para o estudante a escola precisa ter um significado maior do que apenas receber uma mera transmissão de conteúdos. É preciso que ele se reconheça como protagonista da sua vida, criando para si uma história de vida, de sucesso e realizações. É possível fazer educação de qualidade na escola pública, uma educação que qualifica e não quantifica”.

Para o aluno Andress Espindola, que estuda na escola há nove anos, “o ensino integral é diferenciado”. Segundo ele, o ensino até então era padronizado e agora, além de ficar mais tempo na escola, “temos atividades diferentes com a preocupação e foco no aluno, no que se aprende. Temos projeto de vida que é algo que nos orienta para ser uma pessoa melhor, com responsabilidades e conhecimentos”, contou.

FacebookWhatsAppTwitter

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário!




*

FacebookWhatsAppTwitter