Loading

Pesquisar

Paulo Bornhausen: Saída é a inovação

"Santa Catarina tem o seu regime automotivo, mas o limite é não sacrificar o equilíbrio orçamentário do estado", diz o secretário estadual em artigo.

30 de out de 2012

Paulo Bornhausensecretário do Desenvolvimento Sustentável de Santa Catarina

A vinda da BMW abre uma nova fronteira automotiva no Brasil.

Trata-se de um marco histórico para a nossa economia, mas deve ser vista, também, como uma nova era para a economia do país, focada na inovação e da sustentabilidade.

Em Santa Catarina, passamos por um processo de reavaliação e de valorização de nossas qualidades específicas a partir do momento em que o governo tomou a decisão de dar prioridade ao investimento em inovação.

Isso foi antes da Resolução 13, da “guerra dos portos”, que, de certa forma, reforçou a determinação de trazermos uma empresa mais preocupada com as condições estruturais do estado, do que propriamente com incentivos fiscais e econômicos — claro, sem deixá-los de fora.

A exemplo do que foi feito pelo governo federal, criamos nosso próprio regime automotivo. Mas estabelecemos, como limite, não sacrificar o equilíbrio orçamentário do estado.

Construímos um modelo baseado no desenvolvimento econômico que queremos.

Queremos indústrias que trafegam na fronteira do conhecimento, não só no setor automotivo, mas também aeroespacial, aeronáutico e de defesa, integrados ao programa apresentado à BMW.

Estamos gerando emprego de qualidade e formação profissional de alta qualificação.

É importante frisar que, mesmo com os benefícios que estará recebendo, esta empresa, e outras que virão, com certeza, não deixarão de recolher impostos ao estado em momento algum. E tudo que lhes é oferecido, as empresas catarinenses têm direito ou já usufruem.

Queremos a BMW e tantas outras grandes empresas que possam agregar valor à nossa economia. No entanto, antes disso, estamos investindo fortemente na indústria aqui instalada, sempre em parceria com o Sebrae de Santa Catarina.

Fortalecemos a microeconomia, investindo nos microempreendedores individuais. Apoiamos as micro e pequenas empresas com o Nova Economia, com consultoria de gestão e de inovação.

Trabalhamos com 2.400 empresas de todas as regiões do estado.

Investimos nos setores fundamentais, como metal-mecânica e outros, criando uma grande rede de fornecedores e de prestadores de serviços que atuarão no entorno das grandes empresas que aqui se instalarem.

Sem demérito de qualquer outra região brasileira que tenha se candidatado a receber a primeira fábrica da BMW na América Latina, o fato de a fábrica alemã ter sido a primeira a fazer acordo conosco é emblemático.

O estado recebe um selo de qualidade, um certificado de ISO 9000. E o Brasil também, haja vista a manifestação imediata de outras grandes empresas no sentido de virem para o nosso país.

Artigo publicado no jornal O Globo em 29 de outubro de 2012.

Informações Partidárias

Notícias