Loading

Pesquisar

ESTADOS

Deputado do PSD alerta para “caos social” em Roraima

Renato Queiroz, que assumiu por quatro meses a vaga de Haroldo Cathedral, critica a falta de apoio governamental à população da fronteira com a Venezuela, prejudicada pela crise migratória do país vizinho

19 de abr de 2022 · Haroldo Cathedral, Renato Queiroz, Roraima, Venezuela

Renato Queiroz: “Considero que o Brasil abandonou Pacaraima”

Redação Scriptum

A cidade de Pacaraima, na fronteira entre o Brasil e a Venezuela, vive uma situação de caos social, em razão da chegada de centenas de emigrantes do país vizinho, e não está recebendo ajuda do governo para enfrentar o problema. O alerta é do deputado federal Renato Queiroz (PSD-RR), que, em entrevista à rádio Folha FM, de Boa Vista, capital de Roraima, afirmou que o problema nunca foi tratado como deveria pelas autoridades municipais, estaduais e federais. “Pacaraima está abandonada. Considero que o Brasil abandonou Pacaraima”, criticou.

Renato Queiroz assumiu recentemente a vaga do deputado Haroldo Cathedral (PSD-RR), que se licenciou por quatro meses para se dedicar ao fortalecimento do partido no Estado da Região Norte, criando condições para aumentar o número de parlamentares eleitos pelo PSD nas eleições de outubro próximo. “Temos condições de fazer o máximo possível de deputados federais e vários estaduais. Quero me dedicar totalmente à organização do partido em Roraima, pois tenho a certeza que temos um grupo forte para concorrer nessas eleições. Neste período, o PSD vai potencializar seu plano de desenvolvimento para nosso Estado, capacitar suas lideranças e fortalecer suas bases em todos os municípios de Roraima”, explicou Cathedral.

Por sua vez, em uma de suas primeiras ações como representante do PSD na Câmara, Renato Queiroz denuncia a grave situação social na fronteira. O parlamentar, que visitou Pacaraima recentemente, relatou a falta de controle efetivo na fronteira. “Testemunhei com meus próprios olhos: as pessoas entram da forma que querem. Muitos carros e veículos entram no Brasil e não são revistados”, disse.

Segundo ele, a Operação Acolhida, do Exército Brasileiro, só funcionou nos primeiros meses e não é exemplo para o mundo em relação à crise.

O deputado acredita que o caos social instalado na fronteira gerou um sentimento “xenofóbico involuntário” por parte da população local e criticou as autoridades por não fazerem nada para resolver a questão. “O que está acontecendo em Pacaraima é um ensaio para um abandono institucional”, disse.

Além da questão migratória, Renato Queiroz prometeu defender, durante os próximos quatro meses de mandato na Câmara dos Deputados, avanços para a regularização fundiária, melhorias para a internet, alternativas para a segurança energética e ainda sensibilizar sobre as potencialidades do Estado. “Sinto falta, no Congresso, de ver as pessoas que representam Roraima falarem das potencialidades do Estado, não só dos problemas. Tem o potencial dessa conexão que temos com a Guiana, se asfaltar a estrada até Georgetown [capital do País] para escoar mercadorias”, declarou.

Informações Partidárias

Notícias