Loading

Pesquisar

PSD MULHER

Encontro em São Paulo estimula candidaturas femininas

Núcleo feminista paulista reuniu pré-candidatas e militantes para debater a participação das mulheres nas eleições. Evento teve a presença de lideranças nacionais do partido

16 de mar de 2022

Gilberto Kassab: “É preciso que as mulheres se candidatem, inclusive para ganhar experiência e se preparar melhor para a próxima eleição”

Redação: Scriptum

Representantes de todo o Estado participaram na quinta-feira (10) do Encontro do PSD Mulher de São Paulo, realizado no auditório da sede do partido, no centro da capital paulista. Com a presença do presidente nacional Gilberto Kassab e da coordenadora nacional do PSD Mulher, Alda Marco Antonio, o evento permitiu às participantes debater a importância da participação feminina no processo eleitoral, como forma de a mulher ocupar espaços na vida pública e conquistar cada vez maior participação nas decisões que afetam a sociedade.

O presidente Gilberto Kassab, que abriu o encontro, enfatizou a necessidade de que um número cada vez maior de mulheres se candidatem a cargos públicos, abrindo caminho para que todas ocupem o lugar que merecem na vida nacional. Segundo ele, um dos obstáculos a serem superados, nesse sentido, é o medo de não ser eleita. “Seja para perder ou para ganhar, é preciso que as mulheres se candidatem, inclusive para ganhar experiência e se preparar melhor para a próxima eleição”, disse ele.

Acompanhado pelo líder da bancada do PSD na Câmara, deputado Antonio Brito (BA), e pelo prefeito de São José dos Campos, Felício Ramuth, cotado para ser o candidato do partido ao Governo de São Paulo nas próximas eleições, Kassab chamou ao palco três pré-candidatas que, segundo ele, mostram a força feminina e servem de exemplo para outras integrantes do partido que pretendam concorrer a cargos eletivos este ano: a especialista em gestão pública Luana Tavares, a empresária Flávia Lancha, que chegou ao segundo turno das eleições de 2020 para a Prefeitura de Franca (SP), e Roberta Botion, primeira-dama e presidente do Fundo Social de Limeira, município de 310 mil habitantes no interior paulista.

Alda Marco Antonio, coordenadora nacional do PSD Mulher: “Se a gente não for para a política, a democracia não sobreviverá”

A coordenadora nacional Alda Marco Antonio, que conduziu todo o evento, ressaltou em sua fala a urgência de as mulheres passarem a escolher os próprios caminhos, resistindo aos preconceitos da sociedade, que muitas vezes desestimulam a participação feminina na atividade política. “Não queremos isso, vamos falar pela nossa própria voz, não é possível continuar aceitando um papel subalterno”, afirmou.

Alda criticou atitudes como as de dois deputados paulistas que demonstraram profundo desrespeito pelas mulheres. “Se a gente não for para a política, a democracia não sobreviverá. Vamos falar, vamos convencer as eleitoras a mudar essa situação, para que nunca mais sejam eleitos deputados como esses da Assembleia Legislativa paulista, que nos fazem passar tanta vergonha”.

Vice-coordenadora do PSD Mulher nacional, a empresária Adriana Flosi, presidente da Associação Comercial e Industrial de Campinas, também defendeu a importância de se ter mais mulheres disputando cargos eletivos e espaço nas empresas públicas e privadas. “Embora se diga que as mulheres avançaram, isso não é verdade. Ainda existe muito espaço para ser ocupado pelas mulheres. Ainda ocupamos pouquíssimos cargos de decisão, de liderança, nas empresas e órgãos públicos”, disse.

Encontro reuniu representantes de todo o estado de São Paulo na Capital

Experiência

A convite da coordenadora Alda Marco Antonio, diversas participantes falaram no palco do encontro sobre as experiências que tiveram em campanhas eleitorais, relatando vitórias e derrotas que trouxeram grande aprendizado. A empresária Flávia Lancha, do setor cafeicultor, por exemplo, lembrou sua participação nas eleições para a Prefeitura de Franca em 2020, quando iniciou a campanha como primeira colocada nas intenções de voto entre oito concorrentes e confirmou essa preferência ao passar para o segundo turno da eleição com mais votos que seu adversário. “Mas então enfrentei o que há de mais sórdido em política. Apesar de minha história e de meu preparo, enfrentei muito preconceito por parte das próprias mulheres e acabei perdendo a eleição”, contou.

A derrota, no entanto, não a desanimou. “O Kassab me desafiou a continuar na política e, embora tenha hesitado, hoje sou pré-candidata a deputada federal”, disse, lembrando que, “se não nos candidatarmos, vamos deixar espaço para os homens e a situação atual vai continuar”.

A vereadora Tininha, de Itapevi (município de 244 mil habitantes na Grande São Paulo), também ressaltou a necessidade de não se deixar abater por derrotas. Já em seu terceiro mandato como vereadora, ela lembrou que foi derrotada em sua primeira tentativa de chegar à Câmara Municipal, mas enfrentou as dificuldades, foi eleita na segunda tentativa e, na última eleição, foi a mulher mais votada da história de Itapevi.

Participantes debateram questões como a forma de a mulher ocupar espaços na vida pública e participar mais das decisões que afetam a sociedade

Roberta Botion, de Limeira, falou sobre a experiência de estar se preparando para participar de sua primeira eleição, após muitos anos de atividade política ao lado do marido, o prefeito da cidade, Mário Botion (PSD). “Espero ganhar, mas estou aprendendo muito. Estou pronta para ir à luta e acho que todas nós precisamos nos preparar para ocupar espaços”, afirmou.

A especialista em gestão pública e ativista pela digitalização e modernização do serviço público, com ampla experiência no terceiro setor, Luana Tavares, pré-candidata a deputada federal, disse que há muito tempo sonha em alcançar espaço no Legislativo para defender suas bandeiras. “Mas saio daqui, desse encontro de hoje, muito mais motivada do que quando cheguei, depois de ouvir as histórias contadas aqui”, concluiu.

Veja algumas imagens do evento:

Informações Partidárias

Notícias