Loading

Pesquisar

CONGRESSO

Entidades civis vão ajudar na campanha contra a fome

Integrante da Frente Parlamentar de Combate à Fome, Marcelo Ramos (PSD-AM) diz que empresas e associações já se comprometeram a participação de ações contra a “pandemia da fome”

17 de mar de 2022

O deputado Marcelo Ramos durante reunião da Frente Parlamentar de Combate à Fome

Redação Scriptum com assessoria de imprensa do deputado

Em resposta a apelo do deputado Marcelo Ramos (PSD-AM), primeiro vice-presidente do Congresso, diversas entidades da sociedade civil já firmaram compromisso de unir forças para uma grande ação solidária contra a fome. As primeiras ações serão de captação de doações de alimentos e a distribuição a movimentos sociais com experiência em fazê-los chegar aos mais necessitados.

Entre as entidades que atenderam ao apelo de Ramos estão associações de indústrias de alimentos e refrigerantes, bancos como Itaú e Santander, a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), movimentos sociais ligados ao combate à fome, como a Ação Cidadania contra a Fome, criada pelo sociólogo Betinho, e o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea).

As companhias áreas Azul e Gol apoiarão a ação com a logística para os Estados. Para operacionalizar as ações, foi criado um comitê executivo composto por representantes das entidades e do Parlamento.

Marcelo Ramos, que integra a Frente Parlamentar de Combate à Fome, diz que os integrantes do colegiado estão colocando o combate à fome no centro de seus mandatos. “Estamos saindo de uma pandemia sanitária para a pandemia da fome. Nossa atuação será na forma legislativa, colocando na pauta ações práticas de médio e logo prazos para combater essa chaga, mas também atenderemos os não podem esperar: os mais de 20 milhões de brasileiros que passam fome no País”. Ele lembra que no seu Estado, o Amazonas, mais de 2 milhões de pessoas vivem em situação de insegurança alimentar de moderada a grave.

Restaurantes populares

Além de pressão na Câmara e no Senado para pautar e votar medidas estruturantes, como as de fomento à agricultura familiar, à geração de empregos e renda e ao fortalecimento de políticas públicas para redução da pobreza, Marcelo Ramos também ressaltou a necessidade de ações emergenciais. “Meu gabinete já distribuiu mais de cinco mil cestas básicas para famílias no Amazonas e destinei emendas para a construção de 12 restaurantes comunitários com refeições a um real. Chamamos, ainda, parceiros que já ajudaram o Amazonas com doações na época da crise do oxigênio, porque essa é uma causa que deve envolver a todos”, explicou.

Informações Partidárias

Notícias