Loading

Pesquisar

Encontro Democrático

Lições da Europa para a reforma política no Brasil

Em palestra no Espaço Democrático, cientista político Sérgio Praça mostrou que os sistemas políticos europeus funcionam de modo a moderar os resultados eleitorais, evitando grandes reviravoltas

01 de jun de 2017

Sérgio Praça analisou os sistemas políticos dos principais países europeus, mostrando que, em vários aspectos, eles têm lições importantes a oferecer ao Brasil

O crescimento dos partidos de extrema direita e/ou populistas na Europa pode dar a impressão, ao resto do mundo, de que a região está à beira de grandes mudanças, com a ameaças à União Europeia ou à estabilidade econômica. Contudo, na opinião do cientista político Sérgio Praça – palestrante do Encontro Democrático realizado na quarta-feira (31), na sede da fundação Espaço Democrático – não há motivo para grandes preocupações, pois os sistemas políticos de países como França, Inglaterra e Alemanha funcionam de modo a moderar os resultados eleitorais, evitando a proeminência das siglas mais radicais.

 

Em sua palestra no Encontro Democrático que tratou do tema “Para onde vai a Europa?”, Sérgio Praça – que é professor e pesquisador da Fundação Getúlio Vargas, além de manter o blog “Política com Ciência” no portal da revista Veja – analisou os sistemas políticos dos principais países europeus, mostrando que, em vários aspectos, eles têm lições importantes a oferecer ao Brasil no momento em que se discute a reforma política por aqui.

Ele citou como exemplo o sistema eleitoral da França, onde as eleições parlamentares têm dois turnos têm como consequência o fortalecimento de siglas mais moderadas, evitando que representantes da extrema direita ou da extrema esquerda ganhem espaço maior do que o que ocupam na sociedade como um todo.

Encontro Democrático com Sérgio Praça foi transmitido ao vivo pelo Facebook

Lembrou também o que chamou de “parlamentarismo de coalização” vigente na Alemanha, no qual são os partidos que negociam as condições para fazer parte do governo. Citou o caso da social-democracia alemã, que recentemente convocou um plebiscito interno para definir as exigências do partido para participar da coalização governamental. “Ficou acertado que, para ter o apoio do partido, o governo deveria incluir entre suas prioridades um programa de renda mínima e a reforma da previdência social, o que aliás demonstra a importância que esse assunto vem assumindo em todo o mundo”, disse.

O Encontro Democrático desta quarta-feira foi transmitido ao vivo pelo Facebook e a íntegra da palestra de Sérgio Praça será publicada em breve no site do Espaço Democrático. Os Encontros vêm sendo realizados há mais de dois anos e têm por objetivo analisar questões de interesse da sociedade brasileira, acumulando conhecimentos que ajudam a orientar a ação dos integrantes do PSD em suas diversas instâncias de atuação.

Para conhecer o conteúdo já produzido pelos Encontros Democráticos, clique aqui.

Informações Partidárias

Notícias