Loading

Pesquisar

SEGURANÇA

Medida contra a exploração de crianças é aprovada

Com parecer favorável da deputada Laura Carneiro (PSD-DF), a Câmara aprova exigência de certidão negativa de antecedentes criminais para quem trabalha com crianças

21 de fev de 2024 · crianças, infância, Laura Carneiro, pedofilia, PSD-RJ

O objetivo do projeto é impedir que pedófilos se aproveitem da proximidade com as crianças

Edição Scriptum com Agência Câmara

Com apoio da deputada federal Laura Carneiro (PSD-RJ), a Câmara dos Deputados aprovou na terça-feira (20) projeto de lei que exige a apresentação de certidão negativa de antecedentes criminais para os profissionais que trabalham com crianças. O objetivo do projeto é impedir que pedófilos utilizem sua condição profissional para se aproximar de crianças com o objetivo de explorá-las sexualmente. A matéria será enviada ao Senado.

De autoria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, o Projeto de Lei 8035/14 é uma das 11 propostas apresentadas pelo colegiado, que funcionou na Câmara dos Deputados entre 2012 e 2014.

O texto altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e recebeu parecer favorável de Laura Carneiro nas comissões de Constituição e Justiça e de Cidadania e de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família.

O deputado Glauber Braga (Psol-RJ) criticou o projeto por não focar em quem cometeu crimes sexuais, mas qualquer tipo de delito. “Quer dizer que uma pessoa que cometeu um furto com 18 anos e aos 40 anos auxilia no administrativo de escolinhas de futebol, não poderá fazê-lo?”, questionou. “O projeto tem um viés elitista, trabalha por uma ampliação do punitivismo pela lógica do encarceramento”, criticou.

A deputada Laura Carneiro, no entanto, defendeu a aprovação da medida e disse que eventuais ajustes quanto aos crimes que o projeto possa contemplar devem ser feitos no Senado. “O importante é que a gente garanta para essa criança que não tenha contato com um profissional que passou por uma condenação penal de crime contra a dignidade sexual”, afirmou.

Informações Partidárias

Notícias