Loading

Pesquisar

MUNICÍPIOS

Nova Odessa (SP) vai reduzir tarifa de ônibus

Projeto do prefeito Leitinho estabeleceu diminuição de R$ 3,10 para R$ 3,00 nas passagens. Prefeitura vai aumentar o valor do subsídio repassado à empresa responsável pelo serviço

31 de maio de 2022

O prefeito Leitinho: “Podemos recompor parcialmente a defasagem da tarifa sem aplicar nenhum reajuste ao valor pago pelos usuários”

Redação Scriptum com Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Nova Odessa

Apesar do aumento nos preços dos combustíveis, a gestão do prefeito de Nova Odessa, Cláudio José Schooder (PSD), o Leitinho, vai reduzir de R$ 3,10 para R$ 3,00 a tarifa do transporte coletivo no município da Região Metropolitana de Campinas, no interior do Estado de São Paulo. A redução foi estabelecida por projeto de lei do Executivo aprovado nesta segunda-feira (30) pela Câmara Municipal.

Além da redução na tarifa, o projeto autoriza o aumento do valor pago pela prefeitura para subsidiar a passagem, o que atende à demanda da Rápido Sumaré, empresa concessionária do serviço. O valor não é reajustado há três anos, período em que os custos do transporte aumentaram bastante, principalmente o preço do diesel. “Dessa forma podemos recompor parcialmente a defasagem da tarifa recebida pela concessionária, sem aplicar nenhum reajuste ao valor pago pelos usuários. Pelo contrário, ainda conseguimos assegurar uma pequena redução no preço da passagem para quem realmente utiliza o transporte diariamente para ir ao trabalho, à escola e à unidade de saúde”, afirmou Leitinho.

O sistema de transporte coletivo em Nova Odessa é composto por cinco linhas, realizadas por sete veículos, que transportam uma média de mil passageiros por dia. Dos R$ 3,10 pagos pelo usuário, R$ 2,42 são subsidiados pela administração municipal. A aprovação do projeto de Leitinho permitirá o aumento do valor do subsídio para R$ 3,64.

Segundo o secretário municipal de Governo, Robson Paulo, “se não fosse restabelecido, ao menos parcialmente, o reequilíbrio econômico-financeiro do contrato, a empresa poderia ir à Justiça e o usuário é quem arcaria com o custo de um reajuste determinado judicialmente.” Ainda de acordo com o secretário, a empresa concessionária também se comprometeu a substituir a atual frota por veículos mais novos.

Informações Partidárias

Notícias