Loading

Pesquisar

EDUCAÇÃO

Olímpia (SP) aprimora técnicas para atendimento de alunos com deficiência visual

30 profissionais da Secretaria Municipal de Educação participaram de curso em São José do Rio Preto

29 de abr de 2022

Participantes conheceram o trabalho desenvolvido no Centro de Reabilitação Visual

Buscando cada vez mais aprimorar o conhecimento e oferecer ferramentas que propiciem a inclusão de alunos na Rede Municipal de Ensino, educadores de Olímpia, município paulista de 55 mil habitantes administrado por Fernando Cunha, do PSD, participaram de mais uma importante capacitação pedagógica.

Ao todo, 30 profissionais da Secretaria Municipal de Educação estiveram presentes no curso “Orientações Básicas para a vida do Deficiente Visual”, realizado nessa quarta-feira (27), no Instituto dos Cegos – Centro de Reabilitação Visual, em São José do Rio Preto.

Na oportunidade, os participantes conheceram o trabalho desenvolvido no Centro de Reabilitação Visual e trataram durante o curso sobre aspectos clínicos e definições da deficiência visual total, baixa visão e deficiência visual cortical; orientação e mobilidade na educação Inclusiva; entender e auxiliar o aluno de maneira correta no ir e vir com o uso ou não da bengala longa; deficiência visual e o aprendizado em sala de aula; como o deficiente visual utiliza os recursos tecnológicos e a acessibilidade em sua vida escolar; e a importância do professor nesse processo.

O curso abordou ainda o Sistema Braille, que é um método de leitura e escrita tátil utilizado mundialmente por pessoas com deficiência visual, parcial ou total. Durante a capacitação também foi explanado sobre o universo dos códigos e símbolos da matemática para o deficiente visual. Neste mês, no dia 8 de abril, o Brasil celebrou o Dia Nacional do Sistema Braille, data em que nasceu José Alvares de Azevedo, primeiro professor cego do Brasil, que trouxe da França o sistema e ensinou seu uso. A data propõe uma reflexão sobre os desafios enfrentados pelas pessoas cegas e a importância de continuar a produzir obras em relevo, para proporcionar-lhes iguais oportunidades de ler e aprender.

Com isso, o conteúdo abordado proporcionará a melhoria das técnicas que já são utilizadas na Rede Municipal de Ensino pelos profissionais da Educação Especial Inclusiva. Em Olímpia, 2 alunos cegos e 5 alunos com baixa visão são atendidos nas escolas municipais.

Informações Partidárias

Notícias