Loading

Pesquisar

SAÚDE

Zenaide Maia defende mais rigor no uso de agrotóxicos

Senadora do PSD do Rio Grande do Norte propõe que fornecedores de alimentos sejam obrigados a informar os consumidores sobre defensivos utilizados na cadeia produtiva

23 de fev de 2024 · agrotóxicos, projetos, PSD-RN, Zenaide Maia

Projeto de Zenaide Maia estabelece que informações devem ser veiculadas de forma clara nos rótulos

Edição Scriptum com Agência Senado

Preocupada com a qualidade da alimentação da população, a  senadora Zenaide Maia (PSD-RN) apresentou  projeto de lei que obriga fornecedores de produtos alimentares a informar ao consumidor a relação de insumos pesticidas, defensivos agrícolas, herbicidas, agentes químicos e demais substâncias para o controle de pragas ou aumento da produtividade usados na cadeia produtiva.

A proposta altera o Código de Defesa do Consumidor e estabelece que o fornecedor deverá veicular essas informações de forma clara e visível nos rótulos dos produtos alimentares oferecidos ao consumidor, também por meio de símbolo indicativo.

As informações deverão ser disponibilizadas em sites, sendo acessível por meio de Código QR ou mecanismo similar disponibilizado no rótulo do produto, além de serviço de atendimento ao consumidor por telefone, informado no rótulo do produto.

A senadora potiguar lembra que os brasileiros consomem mais de 300 mil toneladas de produtos que têm agrotóxicos em suas composições, de acordo com dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Dessa forma, afirma, “o projeto pretende disciplinar alguns dos direitos mais básicos do consumidor, em especial o direito à informação e à saúde. Em que pese todo o debate sobre agrotóxicos, a legislação ainda carece de uma solução mais adequada para o tema, de modo a aumentar a transparência no fornecimento de produtos alimentares”, diz a senadora.

A exposição a agrotóxicos pode causar vários danos à saúde, destaca a senadora, entre eles problemas respiratórios graves, alteração do funcionamento do fígado e dos rins, anormalidade da produção de hormônios da tireóide, dos ovários e da próstata, incapacidade de gerar filhos, malformação e baixo  desenvolvimento intelectual e físico das crianças.

“Para o adequado tratamento da questão, as medidas de garantia dos direitos do consumidor devem ser instituídas de modo razoável e proporcional. Se, por um lado, é necessário reforçar a legislação para garantir o direito à tomada de decisão consciente pelo consumidor; por outro, a lei deve levar em consideração as dificuldades técnicas e operacionais de se identificar todas as substâncias envolvidas no processo de produção do alimento e de se fazer constar essa listagem nas embalagens”, expõe a senadora.

Informações Partidárias

Notícias