Loading

Pesquisar

MUNICÍPIOS

Em BH, números da pandemia continuam preocupantes

Ocupação das UTIs aumentou no fim de semana e, no primeiro dia útil de proibição de abertura de lojas, fiscalização flagrou irregularidades em diversos bairros da capital de Minas Gerais

09 de mar de 2021

O prefeito Alexandre Kalil

Com casos de crianças sendo internadas com covid-19 e a taxa de ocupação dos leitos de UTI chegando a 85,4% de lotação, Belo Horizonte viveu na segunda-feira (8) o primeiro dia útil sob a nova determinação para fechamento do comércio de produtos e serviços não essenciais na capital, anunciada na sexta-feira pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD).

Embora a Prefeitura tenha esclarecido que “intensificou a fiscalização para garantir o cumprimento do decreto municipal” e os estabelecimentos que não cumprirem com as medidas de combate à covid-19 estejam sujeitos à interdição e multa no valor de R$ 18.359,66, algumas lojas permaneceram abertas e outras funcionaram com portas semiabertas.

Além disso, muitos ônibus que fazem as linhas do transporte coletivo em Belo Horizonte permaneceram cheios na manhã de segunda-feira. Os pontos de ônibus e veículos estavam com grande número de pessoas e o movimento era semelhante ao dos dias com funcionamento normal do comércio.

O prefeito Alexandre Kalil tem insistido na importância do distanciamento social citando dados dos boletins epidemiológicos. Um índice que o preocupa, por exemplo, é a ocupação das enfermarias, que subiu de 61,9% na última sexta-feira (5) para 69,6% na segunda.

Já o número médio de transmissão por infectado sofreu uma leve queda se comparado ao último levantamento, passando de 1,16 para 1,15. Mas o índice continua acima de 1 e é motivo de alerta, porque significa que 100 pessoas infectadas transmitem a doença para outras 115.

Ainda segundo os informes, a semana começa com 118.122 infectados pela Covid-19 em BH. Desses, 2.826 perderam a vida para a doença e outros 5.775 seguem em acompanhamento.

Outros 109.521 já se recuperaram do vírus desde o início da pandemia. São considerados recuperados aqueles casos confirmados de Covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 10 dias, estando há 72h assintomáticos. Ou seja, sem a utilização de medicamentos sintomáticos e sem intercorrências.

Até agora, 134.630 belo-horizontinos foram imunizados com a primeira dose da vacina contra o coronavírus. A segunda dose já foi aplicada em 69.796 moradores da capital. Na terça-feira (9) estava prevista a chegada de mais 300 mil doses da vacina Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, para serem aplicadas em municípios de Minas Gerais.

Informações Partidárias

Notícias