Loading

Pesquisar

MUNICÍPIOS

Fuad Noman é o novo prefeito de Belo Horizonte

Presidente municipal do PSD, que era o vice de Alexandre Kalil, assumiu a gestão da capital mineira, após a renúncia do titular para se pré-candidatar ao Governo do Estado nas eleições de outubro

04 de abr de 2022

O prefeito Fuad Noman e o senador Alexandre Silveira, presidente do PSD em Minas Gerais

Redação Scriptum com site do PSD-MG

O escritor e economista Fuad Noman, de 74 anos, tomou posse como prefeito de Belo Horizonte. Presidente do PSD-BH, Noman foi eleito vice de Alexandre Kalil nas eleições de 2020 e assume o cargo após a renúncia do titular, que anunciou sua pré-candidatura no período previsto na legislação eleitoral. Fuad Noman exercerá o mandato até 31 de dezembro de 2024.

A posse do novo prefeito aconteceu na Câmara Municipal de Belo Horizonte e teve a presença de centenas de lideranças e autoridades, a exemplo do presidente do PSD-MG, senador Alexandre Silveira.

Em seu discurso de posse, Noman destacou que tem “visões de mundo semelhantes” às de Alexandre Kalil e que vai seguir o mesmo programa de governo da eleição. Dirigindo à presidente da Câmara, vereadora Nely Aquino, pediu harmonia entre os poderes Executivo e Legislativo em prol de Belo Horizonte. “Da nossa lavra, senhora presidente, enviaremos os projetos de lei para esta Casa e esperamos a contribuição e o aperfeiçoamento de todos eles. Sempre com diálogo e participação. Juntos, faremos uma cidade mais bonita, mais agradável, com bons serviços públicos, que todos nós belo-horizontinos merecemos”, disse.

Escritor e economista

Nascido em 1947, em Belo Horizonte, Fuad Noman é escritor, bacharel em Ciências Econômicas pelo Centro de Ensino Unificado de Brasília (Ceub) e pós-graduado em Programação Econômica e Execução Orçamentária. É casado, pai de dois filhos, avô de quatro netos e autor dos romances “Cobiça” e “O Amargo e o Doce”.

Doutor Honoris Causa pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) ingressou no serviço público como funcionário de carreira do Banco Central do Brasil. Trabalhou no Tesouro Nacional, foi secretário-executivo da Casa Civil da Presidência da República durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, diretor do Banco do Brasil e presidente da BrasilPrev. Foi, também, consultor do Fundo Monetário Internacional para o governo de Cabo Verde.

Foi secretário de Estado de Fazenda do Governo de Minas, entre 2003 e 2007; e secretário de Estado de Transporte e Obras Públicas, entre 2007 e 2010. Também foi secretário extraordinário da Copa do Mundo e presidente da Gasmig.

Na Prefeitura de Belo Horizonte, foi nomeado, pelo prefeito Alexandre Kalil, secretário municipal de Fazenda, ao longo do primeiro mandato, de 2017 a 2020, ano em que foi eleito vice-prefeito de Belo Horizonte.

Informações Partidárias

Notícias