Loading

Pesquisar

CULTURA

Paes regulamenta rodas de samba no Rio de Janeiro

Decreto assinado pelo prefeito do PSD estabelece normas para eventos em espaços públicos e valoriza artistas da capital fluminense

09 de nov de 2021

O prefeito Eduardo Paes: “A cultura vai voltar a ter muito apoio, porque é a cultura que revela a nossa identidade”

Redação Scriptum

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), assinou na última sexta-feira (5), Dia Nacional da Cultura, um decreto que regulamenta a realização de rodas de samba em espaços públicos da capital fluminense. Segundo o documento, haverá um novo cadastramento dos músicos e um calendário atualizado para esses eventos, que deverão atender às normas estabelecidas pela Vigilância Sanitária.

Paes assinou o decreto em evento promovido no Museu de Arte do Rio, na Praça Mauá, que contou com a participação de sambistas. “Eu tenho muito orgulho de ter colocado muitos recursos na cultura nos meus dois mandatos. Fiz questão de terminar aqui meus eventos do Dia Nacional da Cultura dizendo que esse dinheiro vai pintar, o caixa está bom, organizamos as contas da Prefeitura. Temos condição de prestar nossos serviços. A cultura vai voltar a ter muito apoio, porque é a cultura que revela a nossa identidade”, afirmou o prefeito.

Cada roda de samba cadastrada só poderá se apresentar em áreas onde não estejam sendo realizadas outras atividades artísticas e somente uma vez por semana. Outros locais proibidos para apresentações são as feiras de artes e as saídas de metrô do Largo do Machado e das praças Afonso Pena, Saens Peña, Antero de Quental e Nossa Senhora da Paz. A fiscalização dos eventos ficará sob responsabilidade da Secretaria de Ordem Pública. Não será permitida a venda de ingressos.

O decreto também criou o Programa de Desenvolvimento Cultural Rede Carioca de Rodas de Samba. A iniciativa busca valorizar a produção musical, difundir as obras produzidas coletivamente ou individualmente e viabilizar novas manifestações desse tipo. “Estamos trabalhando desde janeiro e discutindo um caminho de apoio às rodas de samba. Viramos uma página de perseguição à maior expressão cultural dessa cidade”, disse o secretário municipal de Cultura, Marcus Faustini.

Atualmente, conforme mapeamento realizado pela Prefeitura, há cerca de 150 rodas de samba cadastradas na cidade. Todas serão mantidas até a finalização do novo cadastramento, que será realizado após um chamamento público no Diário Oficial do município.

A nova legislação estabelece, ainda, diretrizes para o projeto Empreendedorismo Cultural do Samba, que vai permitir a comercialização de produtos artísticos e gastronômicos relacionados à história do gênero musical durante as apresentações. A Prefeitura definiu um número máximo de 22 expositores por evento e a atividade comercial será condicionada à realização de shows musicais ao vivo.

Informações Partidárias

Notícias