Loading

Pesquisar

MUNICÍPIOS

Reunião do G20 é oportunidade para economia do Rio

O prefeito carioca, Eduardo Paes (PSD), destacou a importância do encontro para o turismo no Rio de Janeiro. Cerca de 40 eventos diplomáticos ou paralelos ao G20 estão na agenda

29 de jan de 2024

“Não podemos perder essa oportunidade”, disse o prefeito Eduardo Paes

Edição Scriptum com O Globo

O Rio de Janeiro vai sediar em novembro um dos grandes eventos da agenda mundial — a reunião de cúpula do G20, o grupo das 20 maiores economias do mundo — e o Brasil não pode perder essa oportunidade geopolítica. O alerta foi feito na segunda-feira (29) pelo prefeito carioca, Eduardo Paes (PSD), ao participar da abertura da reunião do B20, o fórum que reúne representantes de empresas das nações que integram o G20.

“O Brasil teve, há cerca de uma década, as oportunidades mais importantes de sua História, quando conseguimos trazer a Copa do Mundo e os Jogos 2016. Por motivos que conhecemos, perdemos essa oportunidade. Quando o Brasil parecia que ia, nós não fomos. Retrocedemos, voltamos atrás”, disse Paes, de acordo com o jornal O Globo (veja íntegra aqui, para assinantes).

O Brasil está na presidência do G20 e um extenso calendário de eventos está programado para a capital fluminense, estimulando o turismo. “Todos os atores de todas as áreas, sem exceção, vão estar com seus olhos voltados para o Brasil no ano de 2024. E, mais uma vez, não podemos perder essa oportunidade”, frisou o prefeito.

Agenda

Cerca de 40 eventos diplomáticos ou paralelos associados ao G20 no Brasil estão na agenda da Prefeitura, antes da reunião de cúpula, prevista para novembro. Além do fluxo de visitantes – as delegações incluem diplomatas, negociadores, autoridades de segundo escalão, seguranças – que ocupam hotéis, gastam em restaurantes e também buscam algum lazer, eventos do tipo têm a visibilidade internacional como legado, mas especialistas e empresários do turismo alertam para a necessidade de uma política permanente de promoção.

O Rio tem tradição em receber grandes eventos internacionais. Foi sede da final da Copa do Mundo de 2014 e recebeu os Jogos Olímpicos de 2016, como lembrou Paes. Encontros diplomáticos – como a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento, a Rio-92, e a Rio+20, em 2012 – têm ênfase no aumento da visibilidade.

No caso do G20, as reuniões preparatórias ao longo do ano têm o efeito de elevar a demanda das atividades turísticas por vários meses. Antes da cúpula de chefes de Estado – que deverá reunir os principais líderes do mundo, como o presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente da China, Xi Jinping – marcada para 18 e 19 de novembro, os encontros terão autoridades de alto escalão, representantes de empresas e organizações da sociedade civil.

Informações Partidárias

Notícias