Loading

Pesquisar

MUNICÍPIOS

Rio assina acordo para fomentar setor aeroportuário

Termo assinado pelo prefeito Eduardo Paes (PSD) permitirá investir cerca de R$ 300 milhões na maior promoção da cidade, trazendo mais companhias internacionais e voos domésticos

09 de jan de 2024

Aeroporto Tom Jobim: serão investidos R$ 270 milhões durante 3 anos

Edição Scriptum com Prefeitura do Rio

Com o objetivo de propor soluções de fomento à malha aeroportuária carioca, além de estudar cenários regulatórios possíveis para melhorar a coordenação entre os aeroportos da cidade, o prefeito Eduardo Paes (PSD) assinou na terça-feira (9), com o Governo do Estado e a RIOgaleão um acordo de Cooperação Técnica de cerca de R$ 300 milhões. A parceria deverá viabilizar incentivos por meio de um Fundo Municipal para fomento da aviação na cidade.

E para atrair novas rotas e frequências de voos para o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), durante três anos, serão investidos R$ 270 milhões. A Prefeitura do Rio e o governo do Estado vão aplicar R$ 120 milhões, enquanto a RIOgaleão, concessionária responsável por operar o aeroporto, destinará R$ 150 milhões.

“A portaria que limita os voos no Aeroporto Santos Dumont já começou a vigorar e, então, iniciamos a retomada da importância do Galeão. Esses simples movimentos já fizeram com que os destinos internacionais e domésticos no Galeão voltassem aos números pré-pandemia e a tendência é só crescer”, afirmou Eduardo Paes.

A parceria será feita por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Econômico. A expectativa é tornar a cidade do Rio ainda mais atraente para companhias aéreas que já operaram no Aeroporto Internacional Tom Jobim ou que têm interesse em atuar, além de incorporar na capital fluminense uma prática de promoção local exercida pelos principais destinos turísticos mundiais.

“Queremos fazer a promoção do destino Rio por meio das companhias aéreas, especialmente as internacionais. Normalmente elas têm suas agências locais de promoção dos destinos e rotas. Nossa ideia para trazer aumento de frequência de novas companhias internacionais e também da abertura de novas rotas é promover o destino Rio por meio dos canais dessas companhias aéreas. Com a ajuda da RIOgaleão, faremos essas empresas promoverem o destino Rio no exterior. Com isso acreditamos que teremos mais controle, inclusive na frequência, sabendo quais resultados estão sendo melhores em cada companhia”, disse o secretário de Desenvolvimento Urbano e Econômico, Chicão Bulhões.

Turismo

A proposta é que o acordo gere estímulos financeiros e regulatórios para atrair as grandes companhias aéreas, companhias vocacionadas ao lazer e incentive que empresas que já operam no Galeão aumentem frequência de voos, impulsionando a receita direta e indireta para a cidade por meio do turismo de lazer e negócios.

“Esse é o resultado da união que tivemos. O Governo do Estado e a Prefeitura do Rio entenderam a importância do Galeão para a economia, não só para o turismo, mas para todo o Rio. Vencemos a narrativa de que fortalecer o Galeão não é matar o Santos Dumont. Pelo contrário. Precisamos do equilíbrio para que os dois sobrevivam e tenhamos um fluxo aéreo importante para o Rio”, ressaltou o secretário de Estado de Turismo, Gustavo Tutuca.

De acordo com um estudo encomendado pela concessionária RIOgaleão, cada R$ 1 de valor gerado pelo turismo internacional proporciona R$ 1,46 pelos efeitos indiretos e induzidos. Portanto, a ação conjunta da Prefeitura, Governo do Estado e do Aeroporto Internacional Tom Jobim miram o desenvolvimento econômico e social da cidade do Rio de Janeiro.

Representantes das três maiores companhias aéreas do país – Gol, Azul e Latam – estiveram presentes à cerimônia em apoio à iniciativa.

Informações Partidárias

Notícias