Loading

Pesquisar

CÂMARA

Comissão aprova atualização da lei de radiodifusão

Projeto de Cezinha Madureira (PSD-SP), com parecer favorável de Laura Carneiro (PSD-RJ), avança na Comissão de Constituição e Justiça

12 de jun de 2024

O deputado Cezinha de Madureira, autor da proposta: texto poderá seguir direto para o Senado, a menos que haja recurso para votação pelo Plenário.

Edição Scriptum com Agência Câmara

Proposta do deputado Cezinha de Madureira (PSD-SP) que modifica a legislação de radiodifusão foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara, com base em parecer favorável da deputada Laura Carneiro (PSD-RJ). O texto agora poderá seguir direto para o Senado, a menos que haja recurso para votação pelo Plenário.

Entre outros pontos, a proposta:

  • acaba com a necessidade de licenciamento para funcionamento das estações de telecomunicações a cada renovação de outorga;
  • estabelece que as alterações contratuais ou estatutárias em concessões de radiodifusão serão enviadas ao Poder Executivo somente se solicitadas;
  • obriga as concessionárias a inserir em suas programações recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência. No caso de publicidade, a responsabilidade é do anunciante;
  • permite a transferência de concessão ou permissão de uma pessoa jurídica para outra, desde que o processo de renovação esteja em andamento;
  • permite que o requerimento de renovação de prazos de concessão ou permissão seja feito a qualquer momento antes do vencimento, incluindo os atuais processos intempestivos;
  • estabelece que a correção monetária sobre o preço de outorga de rádio e TV incidirá somente depois da aprovação, pelo Congresso Nacional, do decreto legislativo autorizando a concessão.

Em relação às rádios comunitárias, o texto aprovado define que:

  • as entidades que prestam o serviço podem se manifestar sobre a renovação da outorga a qualquer momento antes do término do contrato;
  • a não observância dessa regra não impede a renovação, inclusive para os processos já em trâmite, cabendo ao Poder Executivo notificar a entidade para enviar a documentação;
  • desde que mantidas as condições inicialmente exigidas, a entidade pode alterar os atos constitutivos e mudar a diretoria sem prévia anuência do poder concedente.

Cezinha Madureira afirmou que a proposta busca consolidar uma legislação necessária ao setor. “Todos esses itens já vêm sendo tratados via portaria pelo Ministério das Comunicações. E são necessários para incentivar o empresário, que gasta muito e ganha pouco, em função da chegada da internet”, defendeu.

Informações Partidárias

Notícias