Loading

Pesquisar

MUNICÍPIOS

Em Maringá (PR), política de inclusão atende migrantes

No ano passado, a gestão do prefeito Ulisses Maia (PSD) atendeu mais de 1.800 migrantes, refugiados ou apátridas de 24 nacionalidades, oferecendo acolhimento e acesso ao mercado de trabalho

24 de jan de 2024

Migrante é atendido por funcionário da prefeitura de Maringá

Edição Scriptum com Prefeitura de Maringá

Em Maringá, cidade de 410 mil habitantes na região Norte do Paraná, a gestão do prefeito Ulisses Maia (PSD) tem como um de seus compromissos garantir uma cidade acolhedora. Protagonista em políticas públicas voltadas aos migrantes e refugiados, a Prefeitura de Maringá promove ações para integração e efetiva inclusão social.

No ano passado, o município atendeu mais de 1.800 migrantes, refugiados ou apátridas de 24 nacionalidades. Além do acolhimento de famílias que chegaram à cidade, as iniciativas da gestão municipal garantiram acesso ao mercado de trabalho e regularização da documentação.

A Secretaria de Juventude, Cidadania e Migrantes atendeu 826 pessoas para confecção ou renovação do Registro Nacional Migratório e realizou 119 refúgios em 2023. Desse total, cerca de 500 chegaram a Maringá no ano passado. A maioria dos atendidos veio da Venezuela, mas também foram acolhidas pessoas do Afegão, Argentina, Bolívia, China, Colômbia, Cuba, Espanha, França, Guiné, Guiné-Bissau, Haiti, Itália, Japão, Marrocos, Nigéria, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Senegal, Tunísia e Ucrânia.

Outra iniciativa voltada aos migrantes e refugiados é o projeto ′Embaixada Solidária′, para emissão e renovação de passaporte e documento de identidade. A ação, realizada em parceria com a Embaixada do Haiti, atendeu mais de 900 pessoas de Maringá e outras 30 cidades no ano passado. Durante o mutirão, foram emitidos 903 passaportes e 275 identidades. No total, seis casamentos foram celebrados pela embaixadora do Haiti no Brasil, Rachel Coupaud.

“Maringá é uma cidade que acolhe e garante, de forma efetiva, políticas públicas para inclusão social e inserção dos migrantes e refugiados na nossa sociedade. Somos protagonistas em políticas públicas que garantem o pleno exercício da cidadania e a empregabilidade”, afirma o prefeito em exercício Edson Scabora. Apenas no ano passado, mais de 290 migrantes ou refugiados foram encaminhados para oportunidades de emprego por meio da rede de atendimento do município.

O Centro de Referência de Acolhimento ao Imigrante (Crai), criado pela gestão Ulisses Maia em 2021, acolheu 12 famílias no ano passado. O local oferece alimentação, emissão e regularização de documentos, entre outros cuidados. O município também realiza acompanhamento social e de saúde com as equipes dos Centros de Referência de Assistência Social (Creas) e Unidades Básicas de Saúde (UBSs). A Prefeitura também realiza doações de roupas, brinquedos e cestas básicas aos que estão em situação de vulnerabilidade social.

Informações Partidárias

Notícias