Loading

Pesquisar

ESTADOS

Paraná oferece experiências inesquecíveis a alunos

Programa criado pela gestão do governador Ratinho Junior (PSD) leva um número crescente de estudantes da rede estadual para temporadas de intercâmbio em países como Inglaterra e Austrália

06 de mar de 2024

O estudante Davi Barbosa Rickli Pereira, de 15 anos: “Esse programa está dando uma oportunidade muito grande na minha vida, com aprendizados e responsabilidades”

Edição Scriptum com Agência Estadual de Notícias

Sair de uma pequena cidade do interior do Paraná e passar uma temporada em outro país, às vezes do outro lado do mundo, conhecendo novas culturas e pessoas e aprendendo a conviver com uma realidade completamente diferente. Essa é a experiência que a gestão do governador paranaense Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) está oferecendo a um número cada vez maior de estudantes do Estado.

Lançado em 2019, o programa Ganhando o Mundo é só o começo de uma jornada de aprendizado até então inimaginável para alunos do ensino médio da rede estadual que estão em intercâmbio gratuito fora do Brasil.

Só neste ano, 950 estudantes já foram enviados para seis meses de aprendizado em quatro países: Austrália, Canadá, Inglaterra e Nova Zelândia. Em agosto, mais 50 serão enviados aos Estados Unidos, totalizando mil alunos no Exterior em 2024.

Ano que vem, o programa da Secretaria estadual da Educação será ampliado e vai enviar o maior número de alunos desde que foi criado: serão 1,2 mil estudantes para cinco países, com a inclusão da Irlanda.

Austrália

Um exemplo é Luiz Fernando Souza de Andrade, 15 anos. Aluno do segundo ano do ensino médio do Colégio Estadual Vila Alta, ele saiu do pequeno município de Alto Paraíso, de apenas 3 mil moradores, no Noroeste do Paraná, para estudar no Fremantle College, na cidade de Beaconsfield, região de Perth, uma das maiores metrópoles australianas, com 2 milhões de habitantes. “Após meu período no Ganhando o Mundo na Austrália, quero estudar em outro país novamente. E a experiência adquirida nesse programa será fundamental para as próximas etapas da minha jornada”, planeja.

Ele já aponta uma série de aprendizados que vêm incorporando na vivência de estar morando do outro lado do mundo, como independência, resiliência e adaptabilidade. “Esses aprendizados não apenas enriquecem minha vida pessoal, mas também serão valiosos na minha carreira profissional e minha jornada de autodesenvolvimento”, destaca.

Se não fosse o programa da Seed, Luiz admite que muito dificilmente teria oportunidade de estudar no Exterior. “O Ganhando o Mundo não só abriu portas, mas também enriqueceu minha experiência educacional e pessoal de uma maneira que nunca imaginei possível. Por isso sou imensamente grato pela oportunidade e apoio que tenho recebido do programa”, afirma.

“O programa já me disponibilizou muitas oportunidades e ainda vai abrir muitas portas na minha vida”, disse a estudante Júlia Cristina Olavo de Oliveira

Nova Zelândia

Moradora de Lindoeste, município de 5,1 mil habitantes no Oeste do Estado, Júlia Cristina Olavo de Oliveira, de 15 anos, também admite que não teria oportunidade de sair do país se não fosse o Ganhando o Mundo. Com o programa do Governo do Paraná ela não só teve a oportunidade do intercâmbio como, a exemplo de Luiz, cruzou o globo terrestre para estudar. Júlia está há três meses na Nova Zelândia, onde está matriculada na Freyberg High School, na cidade de Palmston North.

“Nunca imaginei a possibilidade de estudar do outro lado do mundo. Mas o programa já me disponibilizou muitas oportunidades e ainda vai abrir muitas portas na minha vida. Por isso quero aproveitar mais e tirar lições e bons momentos”, diz Júlia. “Quero voltar a viver essa experiência de estudar fora do Brasil novamente para conhecer mais culturas e costumes. Descobri na Nova Zelândia novos hobbies, novas ideias, novos pensamentos, que nunca pensei que fosse ter. Fora as pessoas que conheci e espero levar para a vida”, diz Julia.

Inglaterra

Já o estudante Davi Barbosa Rickli Pereira, de 15 anos, de Reserva, município de 24,5 mil habitantes na Região Central do Paraná, diz ter aprendido no período em que está na Inglaterra que o mundo é grande demais para se viver em uma bolha.

“Uma das coisas que venho aprendendo no intercâmbio é que você tem que aproveitar quando tem oportunidade de conhecer pessoas novas, conhecer o mundo, interagir, conhecer novas culturas. São pontos muito importantes que vou levar para minha vida inteira”, argumenta.

Na cidade inglesa de Bristol, onde está estudando na Hanham Woods Academy, Davi destaca estar aprendendo não só sobre a cultura da Terra da Rainha, mas também da de outros países a partir da troca de experiências que está tendo com colegas intercambistas. “Está sendo fantástico, muito além do que eu esperava. Por isso é incrível o que o Governo do Paraná está fazendo. Esse programa está dando uma oportunidade muito grande na minha vida, com aprendizados e responsabilidades, fora a questão de conhecer novas culturas”, reforça.

Informações Partidárias

Notícias