Loading

Pesquisar

AMBIENTE

Senadores do PSD vão analisar crise hidroenergética

Lucas Barreto (AP), Angelo Coronel (BA), Carlos Viana (MG) e Carlos Fávaro (MT) irão integrar o colegiado encarregado de apurar causas e efeitos da crise hidroenergética, que pode gerar racionamentos

20 de set de 2021

Comissão vai debater ameaça concreta de racionamento

Quatro senadores do PSD vão compor a comissão temporária externa criada no Senado para apurar causas e efeitos da crise hidroenergética. Lucas Barreto (PSD-AP) e Angelo Coronel (PSD-BA) serão membros titulares do colegiado, enquanto Carlos Viana (PSD-MG) e Carlos Fávaro (PSD-MT) estarão na suplência. Os nomes foram anunciados na semana passada pelo presidente da Casa, Rodrigo Pacheco.

Outros nomes serão indicados, já que a comissão terá no total 11 vagas para senadores, com o mesmo número de suplentes.

O grupo foi criado no dia 13 de setembro, após requerimento do senador Jean Paul Prates (PT-RN), solicitando a criação do grupo de parlamentares para averiguar, no prazo de 180 dias, as causas e efeitos da crise hidroenergética que assola o País. A comissão irá acompanhar a atuação da Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (Creg), criada pela Medida Provisória (MP) 1.055/2021, além de propor soluções para garantir a segurança energética e a modicidade tarifária do Sistema Elétrico Brasileiro (Seb).

Jean Paul alertou para a possibilidade de uma ameaça concreta de racionamento, seja por meio de um apelo do governo para que a população gaste menos, ou seja por aumento na tarifa. “O que é mais perverso ainda, porque subirá a tarifa a um ponto em que as pessoas não conseguirão consumir energia e ter o seu conforto básico atendido. Conversamos com vários senadores e sabemos que estamos diante aí de uma situação de dupla razão para analisar as medidas que serão tomadas: porque virá aí mais uma MP sobre o setor elétrico, a 1.051, que vai instalar uma câmara de regras excepcionais, composta de ministros, das pessoas dos ministros, e retira dessa câmara as agências”, argumentou o senador potiguar.

Fonte: Agência Senado

Informações Partidárias

Notícias