Funcionalismo

Campo Grande reajusta salários dos professores

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) chegou a um consenso com os representantes da categoria e assinou lei concedendo aumento de 7,64%. “Queremos recuperar a qualidade da educação na cidade”, disse

14/07/2017

FacebookWhatsAppTwitter

O prefeito de Campo Grande (MS), Marquinhos Trad (PSD), no momento da assinatura, com secretários municipais e representantes da categoria

 

O prefeito de Campo Grande (MS), Marquinhos Trad (PSD), assinou na manhã desta sexta-feira (14) lei que concede reajuste salarial escalonado de 7,64% aos professores da rede municipal de ensino. De acordo com Trad, o reajuste é uma demonstração da disposição da prefeitura em recuperar a qualidade da educação na capital do Mato Grosso do Sul. “Por tudo que os últimos quatro anos representaram para a classe da educação, e, sobretudo, os transtornos que as consequências desse tratamento trouxeram para os alunos, os pais e para toda a nossa cidade, nós fizemos questão de marcar com um gesto que simboliza o propósito de buscar a recuperação do nosso IDEB”, declarou.

Participaram da solenidade o prefeito Marquinhos Trad, o presidente do Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública (ACP), Lucílio Nobre, a secretária municipal de Educação, Ilza Mateus, a secretária municipal de Gestão, Maria das Graças Macedo, e o secretário municipal de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto.

Marquinhos disse ainda que apesar de todos os problemas financeiros enfrentandos pela Prefeitura de Campo Grande, conceder o reajuste, chegando a um consenso com a classe, mostra a importância da categoria. “Sobretudo de maturidade política e entender que aquilo que foi reivindicado pela ACP pode não ter sido acolhido na sua integralidade pela prefeitura, mas houve o consenso”, ponderou.

O presidente da ACP, Lucílio Nobre, afirmou que se inicia um novo tempo. “Estamos inaugurando outro momento. Queremos agradecer ao prefeito Marquinhos Trad, que teve a sensibilidade de estancar as perdas sucessivas de gestões anteriores, sobretudo de 2015 e 2016. Esse 7,64%, mesmo escalonado, representa este momento de acabar com as perdas e a gente daqui pra frente avançar”, afirmou.

Lucílio também lembrou que no entendimento da categoria também representa uma política de valorização da Educação. “Não é de um momento para o outro que se vai fazer toda a correção dos problemas que se acumulam de gestões passadas, mas isso influencia diretamente na segurança que o educador tem que ter, que está sendo valorizado e será cada vez mais. Isso será refletido na sala de aula. Vamos fazer Campo Grande voltar a ser o que era: o primeiro IDEB do país”, frisou.

A secretária de educação Ilza Mateus também salientou a importância de se valorizar a classe. “Mesmo neste momento que o país passa, de uma crise tão alta, no primeiro ano de governo esta gestão está concedendo este reajuste de 7,64%. Isso significa uma valorização para os nossos professores. Entendemos que os professores estão sendo valorizados e isso é mais um motivo para eles desempenharem bem a sua função e juntos melhorarmos o nível de ensino do nosso município”, afirmou.

Com a publicação da Lei 5.818 de 14 de julho de 2017, os vencimentos dos ocupantes de cargos efetivos e profissionais da Educação do quadro do pessoal do Poder Executivo, os proventos, aposentadoria e as pensões ficam reajustadas em 0,25% de maio até novembro, de forma escalonada. Em dezembro, o reajuste será de 5,77%, o que vai totalizar 7,64%.

FacebookWhatsAppTwitter

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário!




*

FacebookWhatsAppTwitter