PESQUISA

Espaço Democrático conclui sondagem sobre segurança pública

Coordenado pelo consultor da fundação do PSD, Tulio Kahn, levantamento contou com a participação de 86 especialistas, que opinaram sobre temas como combate às drogas e sistema prisional brasileiro

13/11/2017

FacebookWhatsAppTwitter

Túlio Kahn: “Nosso objetivo era realmente reunir as opiniões de estudiosos”

 

Após cerca de um mês de trabalho, o Espaço Democrático — fundação do PSD para estudos e formação política — concluiu a pesquisa realizada com um grupo de 86 especialistas em segurança pública, que servirá de referência para lideranças do partido e demais interessados no debate sobre o assunto. Entre as propostas que receberam maior adesão estão a melhoria da infraestrutura urbana em locais de risco e investimento em policiamento comunitário. Confira a íntegra da pesquisa aqui.

Coordenado pelo sociólogo e consultor de segurança pública do Espaço Democrático Tulio Kahn, o levantamento contou com 89 questões sobre assuntos como combate às drogas, policiamento estratégico e sistema prisional brasileiro. As opções de resposta para cada tópico foram divididas em cinco categorias: favorável, totalmente favorável, indiferente, contrário e totalmente contrário.

Do total de entrevistados, 70% são homens e 83% estudam ou trabalham com o tema há mais de 10 anos. Em relação ao nível educacional, 73% dos participantes concluíram o mestrado, 31% o doutorado e 14% o pós-doutorado. “É uma pesquisa qualitativa, que não tem representatividade no sentido amostral. Nosso objetivo era realmente reunir as opiniões de estudiosos”, afirma Kahn, que escreveu uma análise dos resultados da pesquisa – leia aqui.

O consultor destaca que os especialistas foram contrários a algumas propostas defendidas por uma parcela significativa da população, como a utilização das Forças Armadas em ações de garantia da lei e da ordem, a redução da maioridade penal e a flexibilização da Lei do Desarmamento, que permitiria o porte de armas para determinadas categorias profissionais. “Os estudiosos mostraram que não estão muito convencidos de que boa parte das medidas que envolvem alterações no Código Penal tenham algum efeito”, ressalta Kahn.

Os resultados do estudo deverão ser apresentados em debates com entidades ligadas à segurança pública. “Queremos fazer uma discussão sobre o que apareceu como consensual e ver se conseguimos tirar 20 ou 25 questões que possam ser adotadas em uma agenda comum a ser defendida pelo PSD para que tenhamos avanços na segurança”, frisa o consultor.

FacebookWhatsAppTwitter

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário!




*

FacebookWhatsAppTwitter