MINISTÉRIO

Laboratório vai impulsionar a tecnologia agrícola

Ao lado da deputada federal Luisa Canziani (PSD-PR), o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, inaugurou unidade de pesquisa que vai atuar também na capacitação e no desenvolvimento agrícola

22/09/2023

FacebookWhatsAppTwitter

Fávaro e Luísa Canziani na inauguração do Laboratório Foodtech

Edição Scriptum com site do Ministério da Agricultura

Ao lado de lideranças do PSD como a deputada federal Luísa Canziani (PSD-PR), o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, senador licenciado do PSD-MT, participou esta semana, em Londrina (PR), da inauguração do Laboratório Foodtech do Instituto Federal do Paraná (IFPR), cujas frentes de atuação serão a pesquisa, capacitação e desenvolvimento de técnicas agrícolas.

Com recursos do Ministério da Agricultura e Pecuária para compra de equipamento, o laboratório vai ofertar cursos e intensificar a pesquisa acadêmica. “O que estamos fazendo é investir no futuro. Nos últimos 50 anos, o Brasil passou de importador a um dos maiores exportadores de alimentos do mundo. Uma das principais revoluções já feitas e isso com a ciência e tecnologia voltadas para a nossa vocação. Hoje damos mais um passo nessa evolução, sabendo que esses jovens estudantes trarão soluções eficientes para o País”, avaliou Fávaro.

O projeto Foodtech tem parceria com a prefeitura de Cambé (PR) e, até o fim deste ano, deverão ser ofertados os cursos de produção de cerveja, boas práticas de manipulação de alimentos e boas práticas agropecuárias para a produção de leite.

Responsável pela indicação dos recursos para o laboratório, a deputada federal Luísa Canziani ressaltou que a inovação é um grande instrumento de transformação para todos através do agro, destacando a importância do investimento no laboratório para o desenvolvimento regional.

“O Foodtech é a primeira grande chance que a gente tem, mas não pode ser a última. O Foodtech é aquele pontapé inicial para mostrar toda a capacidade que o Instituto Federal, campus Londrina, é capaz de desenvolver”, destacou Randher Orlando, aluno do IFPR e presidente da União Londrinense de Estudantes Secundaristas.

“Podemos sim transformar a nossa realidade e garantir que o Brasil seria protagonista em excelência na tecnologia de ponta para construir uma sociedade melhor e um mundo cada vez mais sustentável”, finalizou.

FacebookWhatsAppTwitter

  0 Comentários

FacebookWhatsAppTwitter