ENCONTRO

PSD Mulher Nacional realiza encontro para debater política

Elas discutiram temas de interesse com vistas à maior participação na política

27/09/2019

FacebookWhatsAppTwitter

Evento foi realizado no auditório do Espaço Democrático, a fundação para estudos e formação política do PSD

 

Nesta sexta-feira (27), dia em que o PSD comemorou oito anos de seu registro no Tribunal Superior Eleitoral, as mulheres do partido participaram do encontro para debater a participação da mulher na política, visando maior participação feminina nas eleições municipais de 2020, promovido pelo PSD Mulher Nacional. Organizado pela coordenadora nacional do PSD Mulher, Alda Marco Antonio, o evento foi realizado no auditório do Espaço Democrático, a fundação para estudos e formação política do PSD.

Alda Marco Antonio destacou que desde o início do ano o núcleo feminino do partido em São Paulo vem trabalhando na qualificação de pré-candidatas, especialmente com cursos. “Nosso objetivo é eleger mais mulheres nas eleições do ano que vem porque nós precisamos participar dos centros de decisão por uma razão simples: homens e mulheres pensam e agem de maneiras diferentes, razão pela qual se complementam”. O encontro contou também com as participações da secretária nacional do núcleo, a suplente de senadora pelo Estado de São Paulo Ivani Boscolo, e da vice-coordenadora nacional do PSD Mulher, Adriana Flosi.

Alda Marco Antonio destacou que desde o início do ano o núcleo feminino do partido em São Paulo vem trabalhando na qualificação de pré-candidatas

A primeira palestra foi dos advogados Thiago Boverio e Sérgio Victor, que falaram sobre os principais pontos da legislação eleitoral, que sofreu várias mudanças para a eleição do ano que vem.

Boverio destacou que como não haverá coligações para a eleição proporcional, os partidos fortes tendem a ser mais bem-sucedidos. “Eventos como este fortalecem esta ideia”, disse. Ele disse que pela primeira vez a pré-campanha eleitoral está regulamentada. “O pré-candidato não pode pedir votos de maneira nenhuma, e isto inclui usar frases como ‘vem comigo” ou ‘vamos juntos mudar nossa cidade’”, apontou. “Mas pode fazer reuniões e se posicionar sobre qualquer tema de interesse, seja em entrevistas, no rádio ou na televisão”.

Sérgio Victor lembrou que está no uso da internet o maior volume de dúvidas dos pré-candidatos, especialmente quanto ao uso de impulsionamentos em redes sociais e no disparo de mensagens por aplicativos.

A vereadora na Câmara Municipal de São Paulo Edir Sales elogiou a iniciativa do PSD Mulher: “Temos que nos fortalecer, mulheres, e encontros como este podem ajudar a colocarmos mais de nós no Legislativo”. Edir falou sobre um dos projetos de sua autoria que se transformaram em lei em São Paulo. É a chamada Lei do Botão do Pânico, que tem como objetivo proteger as mulheres que sofrem violência doméstica. Trata-se de um aplicativo para celular usado para a emissão de um envio de alerta à Guarda Municipal diante de ameaça de agressão.

Vereadora em primeiro mandato na capital paulista, Rute Costa disse que teve um “choque de realidade” ao assumir o cargo: “a distância entre o que eu queria fazer e o que é possível fazer é muito grande”, disse. “Aos poucos, fui percebendo que podemos intermediar a relação entre o governo e o cidadão”. Ela falou de projeto de lei de sua autoria que permitiu a farmácias, supermercados e lotéricas também fazerem a recarga do Bilhete Único de transporte. A ideia surgiu quando testemunhou, na periferia, filas enorme de pessoas – muitos idosos e mulheres grávidas – para colocar créditos no bilhete.

Elisangela Oliveira, secretária de Saúde de Jandira, fez uma rápida explanação sobre o Sistema Único de Saúde (SUS) e como as prefeituras podem se relacionar com ele. Já a psicóloga Theodora Cristina Messora Loschiavo falou que a dificuldade da participação feminina na política se deve especialmente ao fato de que “é um universo masculino”. Segundo ela, “dificuldades existem, mas precisamos brigar para superá-las porque se acreditamos que podemos mostrar a diferença, teremos sucesso na caminhada”. Theodora elogiou o projeto do PSD para as mulheres: “Temos que acreditar em um partido que dá espaço a ícones políticos como a Alda e a Ivani”.

A secretária nacional do núcleo e suplente de senadora pelo Estado de São Paulo Ivani Boscolo

Na última palestra do dia, a vice-coordenadora nacional do PSD Mulher, Adriana Flosi, falou sobre cotas para mulheres na política. Adriana, que é vice-presidente da Junta Comercial do Estado de São Paulo, citou números que revelam a baixa presença feminina em cargos de direção de empresas no mundo todo, fenômeno que se repete no Brasil e na política. “No mundo, as mulheres ocupam apenas 34% dos cargos de gerência; na política, em um ranking mundial que avalia o número de mulheres nos parlamentos, de 190 países o Brasil ocupa apenas o 149º lugar”.

“O PSD está se empenhando para dar cada vez mais espaço às mulheres, a criar um ambiente favorável à participação feminina na política”, disse o presidente nacional do partido, Gilberto Kassab, no encerramento do evento. Segundo ele, encontros como esse realizado em São Paulo devem acontecer em outros Estados. “Daremos continuidade a este trabalho porque política partidária é uma corrente na qual temos que ir agregando pessoas que pensam como a gente”, disse.

FacebookWhatsAppTwitter

  0 Comentários

FacebookWhatsAppTwitter