Loading

Pesquisar

ESTADOS

Paraná reforça marca internacional em meio ambiente

O governador Ratinho Junior (PSD) lança medidas focadas na área de preservação ambiental e garante: “O Paraná demonstra que é possível aliar desenvolvimento com geração de empregos e renda”

06 de jun de 2023

O governador Ratinho Jr. anuncia reativação do Fórum de Mudanças Climáticas

Edição Scriptum com Agência Estadual de Notícias

O Paraná quer avançar ainda mais como uma referência internacional em desenvolvimento sustentável. A disposição foi anunciada na segunda-feira (5), Dia Mundial do Meio Ambiente, pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), durante o lançamento de uma série de medidas focadas no setor, a exemplo da realização de audiências públicas para a criação de uma Política Estadual de Biodiversidade, a reativação do Fórum Paranaense de Mudanças Climáticas e a assinatura de um pacto para proteção da Mata Atlântica.

Ratinho Junior classificou as medidas como um reforço do compromisso do Governo do Estado em manter o Paraná como uma referência nacional e internacional em desenvolvimento sustentável. “É um dia para comemorarmos os avanços que o Paraná conquistou nos últimos anos, como o reconhecimento global da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), mas principalmente de reafirmar o compromisso em trabalharmos pelo desenvolvimento econômico aliado à preservação do meio ambiente”, afirmou.

Ele também citou o fato do Paraná ser a unidade da federação mais sustentável do Brasil, pelo Ranking de Competitividade dos Estados, e disse que o objetivo é avançar ainda mais nos próximos anos para manter esse indicador. Recentemente, o Paraná também foi escolhido para coordenar as ações focadas na Mata Atlântica dentro do Consórcio Brasil Verde, entre outros fatores por ter a maior área preservada do bioma no País.

“O Paraná demonstra que é possível aliar desenvolvimento econômico com geração de empregos e renda, com o cuidado e a preservação do meio ambiente”, disse o governador.

Mudanças climáticas

A reativação do Fórum Paranaense de Mudanças Climáticas é uma demanda do setor produtivo e da sociedade civil e tem como intuito aumentar o diálogo e a cooperação entre os setores público e privado sobre soluções para os problemas enfrentados pelo Paraná em razão das mudanças climáticas.

“O Paraná viveu recentemente a maior estiagem da sua história que é uma consequência das mudanças climáticas e queremos que o Fórum Estadual seja um espaço de diálogo e cooperação entre os diversos atores da sociedade, incluindo representantes governamentais, especialistas, organizações não governamentais e o setor privado”, informou o secretário estadual de Desenvolvimento Sustentável, Valdemar Bernardo Jorge.

Entre os objetivos do Fórum, está a criação de novas políticas públicas, a exemplo do Selo Clima Paraná, por meio do qual o Estado reconhece empresas e entidades que atuam alinhadas com a preservação de recursos naturais. Entre os temas que devem ser tratados de forma prioritária, estão a polinização, o ciclo de nutrientes, o controle da erosão e o fornecimento de água.

A ação foi motivada pelos compromissos firmados pelo Brasil em acordos internacionais como o novo Marco Mundial da Biodiversidade de Kunming-Montreal, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Desmatamento

Com o Pacto em Defesa da Mata Atlântica, o governo paranaense também se comprometeu em ampliar as ações de combate ao desmatamento ilegal em todo o seu território. O Estado iniciará as análises técnicas para aumentar o contingente da Polícia Ambiental, o que poderá resultar na implementação de um segundo batalhão do grupo em médio prazo.

Criado em 1957, o Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde (BPAmb-FV) é uma unidade especializada da Polícia Militar do Paraná vinculada à Secretaria de Estado de Segurança Publica (Sesp). Atualmente, ele possui 374 Policiais Militares Florestais distribuídos em 22 postos no território paranaense.

“A Polícia Militar inicia agora os estudos sobre o segundo batalhão para que seja avaliada a viabilidade técnica, o que também depende desse reforço no efetivo. De qualquer forma, imediatamente nós iniciamos o reforço no policiamento ambiental com a utilização de aeronaves tripuladas e não tripuladas com toda a tecnologia necessária para fazer frente a essa demanda em todo o nosso estado”, disse o secretário de Segurança Pública, Hudson Leôncio Teixeira.

Esse combate se dá com fiscalização aérea, por satélite e aeronaves. Além da atuação em campo, atualmente são monitorados alertas das plataformas Mapbiomas e Global Forest Watch. As imagens de satélite utilizadas, além das disponíveis no Google Earth, são as PlanetScope, com resolução espacial de 3 metros e que são capturadas diariamente. Elas embasam a atuação das forças policiais e ambientais nessa fiscalização, o que resultou em 3.411 autos de infração emitidos pelo IAT por danos à flora, com R$ 94,8 milhões em multas, apenas em 2022.

Informações Partidárias

Notícias