Loading

Pesquisar

Municípios

Barretos (SP) assina convênio para melhoria no sistema de abastecimento de água

Recursos serão destinados à construção de novo reservatório e renovação das redes de distribuição

09 de jan de 2024

A prefeita Paula Lemos: “Com a substituição por materiais mais resistentes e modernos, evitamos vazamentos que impactam no abastecimento de água”

Edição Scriptum com Prefeitura de Barretos

A prefeita de Barretos, Paula Lemos (PSD), assinou na semana passada um convênio de mais de R$ 14 milhões com o Ministério das Cidades para melhorias no Sistema de Abastecimento de Água do município de 120 mil habitantes da região de Ribeirão Preto. O recurso será aplicado na construção de um novo reservatório, com capacidade para o armazenamento de dois milhões de litros de água, e na reabilitação das redes de distribuição constituídas de tubos em cimento amianto e ferro fundido, que já excederam o tempo de vida útil, comprometendo o serviço de abastecimento.

A prefeita destacou a importância do convênio. “Estamos falando de uma rede muito antiga, que já apresenta muitos problemas, pois está ultrapassada”, disse. “Com a substituição por materiais mais resistentes e modernos evitamos vazamentos que impactam no abastecimento de água”. O projeto prevê a troca de 18 km de tubulação da rede de distribuição de água e a instalação de um reservatório para dois milhões de litros de água. “Este convênio representa ganho ambiental, economia de recursos hídricos, melhorias no atendimento aos munícipes, promoção de saúde e economia financeira”, destacou Paula Lemos.

As melhorias no sistema de abastecimento visam à redução de perda de água ocasionada pelos rompimentos das redes e a regularização da pressão no sistema, resolvendo o problema da falta de água. A utilização das redes de água feitas de cimento amianto e ferro fundido no final de sua vida útil compromete a eficiência do sistema de distribuição, pois estão sujeitos a desgaste e corrosão ao longo do tempo e devido à presença de amianto em sua composição, também podem representar riscos à saúde quando há deterioração do material, liberando fibras de amianto no ambiente. Por isso, a substituição por materiais mais modernos e duráveis pode ajudar a superar essas dificuldades e melhorar a qualidade e a eficiência do sistema de distribuição de água.

A assinatura do convênio, no valor de R$ 14,.364 milhões provenientes do Governo Federal e R$ 146 mil de contrapartida municipal, ocorreu em Ribeirão Preto, na Caixa Econômica Federal.

Informações Partidárias

Notícias