Loading

Pesquisar

ELEIÇÕES 2022

Em Minas, nomes do PSD se destacam nas pesquisas

Antonio Anastasia é líder disparado nas intenções de voto para senador, enquanto o prefeito de BH, Alexandre Kalil, em segundo lugar na corrida pelo cargo de governador, pode crescer muito

05 de out de 2021

O senador Antônio Anastasia

O senador Antonio Anastasia (PSD) disparado à frente na disputa pelo cargo de senador por Minas Gerais e o atual prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), mostrando muito potencial de crescimento nas intenções de voto para governador nas eleições de 2022. Esse é o quadro mostrado por levantamento realizado pelo Instituto Opus e publicado na terça-feira (5) pelo jornal Estado de Minas.

De acordo com a pesquisa, a um ano das eleições, a disputa pelo governo de Minas caminha para polarização entre o governador Romeu Zema e o prefeito Alexandre Kalil. Atualmente, Kalil tem maioria dos votos na capital e na Grande BH, mas Zema leva vantagem nas demais regiões do Estado. O prefeito tem 51% em BH e 40% na Grande BH, contra 28% e 34% do governador.

O prefeito de Belo Horizonte, Alexande Kalil

Por sua vez, o senador Antonio Anastasia aparece com 26% das intenções de voto para escolher o representante mineiro no Senado nas eleições do ano que vem. O segundo colocado aparece com 7% das preferências.

Em suas redes sociais, o senador do PSD de Minas afirmou que os números são “fruto do reconhecimento dos mineiros ao que temos feito aqui no Congresso Nacional e aumentam minha responsabilidade e motivação para continuar trabalhando muito para melhorar nossa legislação, a gestão e os serviços públicos no Brasil”.

Depois de agradecer a manifestação dos eleitores, Anastasia lembrou que “não é a hora ainda de pensar nas eleições, há trabalho para se fazer até lá, muitos desafios para enfrentar e problemas para resolver. E vamos continuar a fazer isso com empenho, coragem e vigor”.

Na pesquisa do Instituto Opus, em parceria com o Estado de Minas, foram entrevistados mil eleitores via ligação telefônica, espalhados por 273 cidades do Estado. O levantamento foi feito entre 27 e 30 de setembro. A margem de erro é de 3,2%, e o intervalo de confiança é de 95%.

O diretor do Instituto Opus, Matheus Dias, avalia que Kalil precisa investir no interior do Estado para consolidar seu nome. “O prefeito de BH vai ter que interiorizar, se apresentar aos eleitores das regiões que não são próximas da capital. O caminho aponta mesmo para polarização entre o governador Zema e o prefeito Kalil, mas isso não impede que surjam nomes competitivos, principalmente de linha mais de esquerda, mas ideológica. Não está descartado, mas o cenário atual indica essa polarização, mas caso ele tenha real intenção, ele precisa interiorizar para que o nome seja mais conhecido, algo já realizado por Zema e que ocupa o atual posto, que dá projeção muito grande”, afirma.

Informações Partidárias

Notícias