Loading

Pesquisar

MUNICÍPIOS

Estado conclui obras abandonadas no Vale do Paraíba (SP)

O vice-governador de São Paulo, Felicio Ramuth (PSD), participou da entrega de 128 moradias nos municípios de Aparecida e Lagoinha. Atual gestão finalizou trabalho iniciado há mais de uma década por governos anteriores

12 de dez de 2023

O vice-governador Felício Ramuth e o secretário Marcelo Branco (à dir) inauguram 66 residências em Lagoinha

Redação Scriptum com Governo de SP

Lideranças do PSD paulista, o vice-governador de São Paulo, Felicio Ramuth, e o secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Marcelo Branco, entregaram na sexta-feira (8) duas obras que estavam abandonadas há mais de uma década na região do Vale do Paraíba. No município de Aparecida foram entregues 62 apartamentos em quatro prédios de três andares, que receberam investimento de R$ 10,4 milhões. As moradias compõem o condomínio Vereador Waldemir José Pedroso, nome do parlamentar da cidade que morreu em 2020.

Já em Lagoinha, 66 casas foram inauguradas. As residências fazem parte do Carlos Maneco, novo bairro que presta tributo a um morador pioneiro na promoção de rodeios. O empreendimento recebeu investimento de R$ 10,1 milhões. “Esse sonho virou realidade e nós estamos aqui para compartilhar essa alegria com a população. Temos 12 mil unidades habitacionais em execução no Vale do Paraíba. Elas fazem parte de um grande projeto de 100 mil unidades habitacionais que já estão em construção em todo o Estado”, afirmou o vice-governador. Ainda segundo Felicio, “o governo estadual vai continuar tratando a habitação como prioridade, pois habitação e educação transformam as vidas das pessoas e apontam para um futuro melhor para nossas cidades, para o Estado e para o País”.

As casas têm 45 metros quadrados e contam com dois quartos, sala, cozinha, banheiro e lavanderia. Nas duas cidades, as moradias utilizam energia solar. “Em Aparecida, eram dez anos de construção. Em Lagoinha, vinte. Em dez meses nós concluímos, pois temos um compromisso que é o de não deixar obra parada, independentemente de quando começou, de quem começou, da região do Estado ou dos recursos necessários para a conclusão”, disse Marcelo Branco.

Seleção e financiamento

Os beneficiários nas duas cidades foram escolhidos por meio de sorteios públicos. Os financiamentos dos imóveis, que podem ser feitos em até 30 anos, seguem as diretrizes da política habitacional do governo de São Paulo, que concede isenção de juros para quem tem renda mensal de até cinco salários mínimos. Além disso, as parcelas não podem comprometer mais que 20% da renda familiar.

Informações Partidárias

Notícias