Loading

Pesquisar

Municípios

Estado inaugura Casa da Mulher em Barretos (SP)

Governo da prefeita Paula Lemos (PSD) será responsável pela gestão da unidade, que vai oferecer apoio psicológico, orientação jurídica e capacitação profissional para vítimas de violência

08 de dez de 2023

A prefeita Paula Lemos: “Será um espaço para o desenvolvimento profissional da mulher barretense e para ela se sentir acolhida”

Redação Scriptum com Portal do Governo de São Paulo e Prefeitura de Barretos

A prefeita de Barretos, Paula Lemos (PSD), participou na quarta-feira (6) da inauguração da Casa da Mulher Paulista Janaina Zanqueta Dias Rondini, que vai oferecer proteção, capacitação profissional, orientações jurídicas e apoio psicológico às moradoras vítimas de violência. A iniciativa é resultado da parceria entre a prefeitura do município da região Norte do Estado de São Paulo e o governo estadual, representado no evento pela secretária de Políticas para a Mulher, Sonaira Fernandes. A atividade, que reuniu autoridades de Barretos e da região, fez parte da primeira macrocampanha estadual 21 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher.

Paula fez questão de elogiar lideranças da cidade presentes à inauguração que se destacaram na defesa dos direitos femininos. “Hoje é a realização de um sonho. É a certeza de que a luta da dona Nivalda (a ativista Nivalda Duarte Menezes, de 75 anos), que começou a agregar esse time todo há 20 anos, vai continuar. Duvido que tenha alguma Casa Afro mais movimentada que a de Barretos e, assim como as casas Afro e da juventude, esta será uma casa muito utilizada. Será um espaço para o desenvolvimento profissional da mulher barretense e para ela se sentir acolhida”, disse a prefeita. Ainda segundo Paula, “é preciso que nos unamos para que a gente possa, de fato, ter uma sociedade mais humana, compreensiva e amorosa”.

Sonaira Fernandes enfatizou a importância das estratégias do governo estadual direcionadas à segurança feminina. “Nosso trabalho é unir esforços com os municípios para fortalecermos a rede de proteção às mulheres vítimas de violência com políticas públicas”, frisou a secretária.

Ela também apresentou o protocolo Não se Cale, que estabelece ações para o combate ao assédio e à violência sexual em espaços públicos e privados de lazer, como bares, restaurantes, casas noturnas, festas e eventos. “Buscamos disseminar informações para todos os segmentos da sociedade, para promover o reconhecimento dos diversos tipos de violência contra a mulher”, explicou Sonaira.

Informações Partidárias

Notícias