Loading

Pesquisar

MUNICÍPIOS

Kalil anuncia tarifa de ônibus mais barata em Belo Horizonte

Prefeito da capital mineira diz que, a partir de fevereiro de 2022, passagens passam de R$ 4,50 para R$ 4,30. Em contrapartida, Prefeitura vai assumir custos das passagens gratuitas

21 de dez de 2021

O prefeito Alexandre Kalil: “Estamos devolvendo para a população o que é da população”

Redação Scriptum com Assessoria de Comunicação da Prefeitura de BH

A partir do próximo mês de fevereiro, a população de Belo Horizonte passará a gastar menos com transporte. O prefeito Alexandre Kalil (PSD) anunciou, na terça-feira (21), que a principal tarifa de ônibus da capital mineira vai baixar de R$ 4,50 para R$ 4,30. Para vigorar, a redução precisa ser aprovada pela Câmara Municipal. Em contrapartida, a Prefeitura vai arcar com os custos da gratuidade do transporte, de R$ 5 milhões por mês.

Kalil também apresentou na terça-feira a prestação de contas e as principais realizações da Prefeitura nos últimos anos. Como exemplo, citou a entrega de 29 novos centros de saúde nas diversas regionais da cidade e ampliação do horário de atendimento para 12 horas; obras na avenida Teresa Cristina e no córrego Ressaca; e investimentos de R$ 50,2 milhões na estrutura das escolas municipais.

“Te digo que é uma obrigação do poder público. Não sou eu, não é o Fuad Noman, (vice-prefeito, também do PSD), não são os secretários que pagam isso. É o povo de Belo Horizonte, são os empresários que recolhem os impostos. Então vamos colocar isso muito claro. Estamos devolvendo para a população o que é da população”, afirmou o prefeito.

Ao lado dos secretários municipais e presidentes de autarquias e empresas públicas, Kalil agradeceu o empenho e competência da equipe. “A população pode ficar tranquila porque estamos em boas mãos, estamos realizando o que se pode realizar, cuidando do dinheiro da população. Temos uma prefeitura robusta, honesta e que não faz nada de mal feito”, disse.

A decisão de reduzir o preço das passagens de ônibus foi tomada em acordo fechado durante reunião com a presença de representantes da Prefeitura, do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH), do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) e da Procuradoria-Geral do município.

Em nota, a Secretaria de Transito de BH informou que “na manhã desta terça-feira (21), em reunião mantida na Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) entre representante da prefeitura e do o SetraBH objetivou-se encontrar uma saída para se evitar o colapso do sistema de transporte coletivo de BH, com prejuízos incalculáveis para toda a sociedade”.

Segundo a nota, é “importante destacar que ficou acordado que todas as gratuidades e todas as complementações das tarifas sociais (de R$3,15 e de R$ 1,00) serão pagas pela Prefeitura, considerando a nova tarifa preponderante de R$ 4,30”.

Por fim, explica que “o acordo se encontra em fase de construção de termos que deverão ser homologados pela Justiça. Após isso, um PL será encaminhado pela PBH à Câmara Municipal de Belo Horizonte, tendo em vista a necessidade de aporte de recursos públicos para auxiliar os passageiros com o pagamento das gratuidades e com as complementações tarifárias acordadas”.

Informações Partidárias

Notícias