Loading

Pesquisar

MUNICÍPIOS

Marquinhos: ‘Campo Grande já vacinou 238 mil, mas é pouco’

Prefeito diz que a capital do Mato Grosso do Sul tem índice de vacinação superior às outras cidades, mas lamentou que o País ainda tenha que “escolher grupos de prioridade em detrimento a outros”

11 de maio de 2021

O prefeito Marquinhos Trad: falta de planejamento por parte do Governo Federal impediu que o processo de vacinação fosse mais rápido

Campo Grande já vacinou cerca de 26% de sua população, mas o prefeito Marquinhos Trad (PSD) não se considera satisfeito. Para ele, apesar do saldo positivo, a falta de planejamento por parte do Governo Federal impediu que o processo de vacinação fosse mais rápido. Mais de 238 mil pessoas já foram vacinadas na capital do Mato Grosso do Sul.

Para Marquinhos, essa quantidade de vacinados é uma notícia excelente e o índice de vacinação também é muito bom, pois o restante do país ainda não chegou a 17% na primeira dose. “A notícia é boa diante desse cenário, todavia eu sempre registrei que é triste e lamentável ver o país que deveria ter se organizado há muito tempo atrás, ainda ter que escolher grupos de prioridade em detrimento a outros”, destacou o prefeito em entrevista ao programa Tribuna Livre da Rádio Capital 95 FM, nesta terça-feira (11).

Sobre sua gestão na Prefeitura, Marquinhos enfatizou que é necessário ter equilíbrio, maturidade e humildade para conduzir um cargo público. “Eu sempre disse que para cargos executivos a experiência e sobretudo a maturidade de vida são necessários. O que a constituição nos dá de condições para transformar uma cidade e ser decisivo na vida de um ser humano é muito grande para prefeito, para governador e para presidente da República. Se não tiver um equilíbrio, um bom coração, forem humildes e ouvirem a todos, você pode ter certeza que seu mandato tende a ser um funeral”, afirmou.

Sobre uma possível candidatura para o cargo de governador em 2022, Trad disse que sempre foi aberto em relação a suas intenções políticas. “Nunca escondi os caminhos que palmilhei na vida pública e particular. Dois anos antes da disputa à Prefeitura, eu disse que era candidato a prefeito, e agora há dois anos eu falei que seria candidato à reeleição. Neste momento, eu não sou candidato nenhum, ou pré-candidato ao Governo de Estado”, afirmou o prefeito.

De acordo com o prefeito, apesar da pandemia a situação financeira da capital sul-mato-grossense está equilibrada. “A nossa cidade hoje está equilibrada economicamente, diferente de alguns anos atrás, tanto que estamos pensando juntamente com a Câmara dos Vereadores em ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social, não com dinheiro, mas com cestas alimentares. A questão do dinheiro tem sido muito criticada, porque as pessoas estão pegando esses benefícios federal e estadual e não estão colocando alimento em suas próprias casas”, lamentou.

O prefeito disse que vem trabalhando junto aos vereadores para viabilizar o projeto.“Estive na Câmara para debater o projeto, pois para fornecer hoje um auxílio é preciso criar uma série de pré-requisitos, porque há uma lei federal que determina que quem recebeu do Governo Federal não pode receber nenhum outro benefício, assim como quem recebeu do Governo do Estado. Então precisa peneirar quem pode receber e isso tudo vai demorar, e o estômago não espera. Por isso estamos encontrando esse ponto de equilíbrio, em entregar a cesta alimentar ao invés do dinheiro”, enfatizou Marquinhos.

Informações Partidárias

Notícias