Loading

Pesquisar

MUNICÍPIOS

Pandemia sai de controle e Campo Grande fecha tudo

Após cidade atingir pico de internações, prefeito Marquinhos Trad (PSD) anuncia antecipação de feriados de abril, junho, agosto e setembro, mas descarta por enquanto implantar lockdown

19 de mar de 2021

O prefeito Marquinhos Trad: comércio que não se enquadra em serviço essencial não poderá abrir.

Ao se aproximar dos mil pacientes internados em enfermarias e UTIs em razão da covid-19, Campo Grande, a capital do Mato Grosso do Sul, vai parar na semana entre os dias 22 e 26. O anúncio foi feito pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD) após reunião com secretariado na tarde de quinta-feira (18).

Mato Grosso do Sul atingiu o pico de internações na quinta-feira, com 956 pacientes internados em leitos clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Somente na macrorregião de Campo Grande, a taxa de ocupação de leitos é de 107%.

A parada da cidade para frear o avanço da pandemia na cidade se dará pela antecipação de feriados. De acordo com o prefeito, dos dias 22 a 26 de março, a partir da segunda-feira até sexta-feira, serão antecipados feriados dos dias 2 e 21 de abril, 3 de junho, 26 de agosto e 7 de setembro. Nestes dias, só poderão funcionar serviços essenciais durante 24 horas. Marquinhos Trad explicou que o comércio que não se enquadra em serviço essencial não poderá abrir.

Marquinhos informou ainda que não foi decretado lockdown na cidade porque a avaliação é que, diminuindo o horário de circulação das pessoas com a antecipação dos feriados, haverá diminuição do contágio. “Não há necessidade de lockdown. Há a necessidade de um prazo para evitarmos esse colapso. Acontece que as pessoas que ocupam os leitos de UTI, muitos deles não vem da covid, a gente evitando a circulação de pessoas e diminuindo os horários da noite, podemos cuidar de quem está com covid”, disse o prefeito.

Só poderão funcionar serviços considerados essenciais, como supermercados, farmácias e postos de combustíveis. O objetivo é “frear a contaminação e dar um tempo para as pessoas internadas se recuperarem e com isso desacelerar a movimentação das pessoas nas ruas”, disse o secretário de segurança de Campo Grande, Valério Azambuja.

Na quinta-feira, Campo Grande foi classificada com a bandeira cinza e tem risco extremo para transmissão do coronavírus em Mato Grosso do Sul. Campo Grande foi o único município classificado com a bandeira cinza no Estado. De acordo com os dados desta quinta, em 24 horas foram 31 mortes e 1,2 mil novos casos em Mato Grosso do Sul.

Informações Partidárias

Notícias