Loading

Pesquisar

MUNICÍPIOS

Projeto recupera dependentes químicos em situação de rua em Guarulhos (SP)

Em parceria com o governo estadual, gestão do prefeito Guti (PSD) inaugura unidade do programa Casas Terapêuticas no município da Grande São Paulo

27 de nov de 2023

O prefeito Guti inaugura o espaço: “Nós precisávamos disso na cidade”

Redação Scriptum com Prefeitura de Guarulhos

O prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa (PSD), o Guti, participou na sexta-feira (24), na Vila Rosália, da inauguração da unidade masculina do programa Casas Terapêuticas. Resultado da parceria entre a prefeitura do município da Grande São Paulo e o governo estadual, o equipamento público tem como objetivo recuperar homens que são dependentes químicos e estão em situação de rua.

“Essa casa terapêutica vem justamente para que a gente possa fazer esse atendimento da melhor forma possível. Tirar esse projeto do papel é uma felicidade sem tamanho. É um dos pilares para a retaguarda no atendimento da população em situação de rua e nós precisávamos disso na cidade”, destaca o prefeito. Guti participou da cerimônia de lançamento do projeto ao lado do secretário estadual de Desenvolvimento Social, Gilberto Nascimento Junior, e do secretário municipal de Desenvolvimento e Assistência Social, Fábio Cavalcante. A unidade de Guarulhos foi a segunda inaugurada no Estado. A primeira foi implantada na capital paulista em janeiro deste ano.

Divididos em quatro etapas, os tratamentos duram até dois anos. A primeira etapa é a Casa Acolher, com dez vagas, onde o atendido permanecerá de 30 a 60 dias, período em que as prioridades do serviço serão a saúde, a adaptação e a conscientização dos dependentes químicos. O ingresso na Casa Despertar, que oferece 20 vagas, ocorre na segunda etapa do programa, quando o paciente participa de atividades educacionais, culturais, recreativas e esportivas por um período entre 60 e 90 dias.

A Casa Transformar, com 16 vagas, representa o terceiro passo do projeto. Nessa etapa do processo terapêutico, com duração de 180 dias, a Secretaria Municipal do Trabalho vai ajudar na recolocação profissional do paciente, garantindo cursos de qualificação e auxiliando na busca por empregos.

Autonomia

Na quarta etapa, denominada Caminhar, os atendidos serão acompanhados por profissionais do projeto no processo de desligamento da casa. O período desse acompanhamento também será de 180 dias e a Secretaria Municipal de Habitação deverá fornecer ao atendido um local para moradia, o que vai garantir a autonomia do beneficiário.

De acordo com o secretário Fábio Cavalcante, os atendidos serão encaminhados por meio dos acolhimentos municipais para pessoas em situação de rua e pelos Centros de Atenção Psicossocial (Caps). “São os nossos equipamentos que têm contato diariamente com esse público e vamos trabalhar na sensibilização da questão para que eles entendam que existe uma saída, outra vida.”

Além de participarem de terapia semanal, os atendidos assinam um termo em que se comprometem a realizar o exame toxicológico sempre que solicitado.

Informações Partidárias

Notícias