Loading

Pesquisar

CULTURA

Sidney Leite condena veto à Lei Paulo Gustavo

Em mensagem nas redes sociais, o deputado do PSD do Amazonas criticou decisão do presidente, de barrar lei que repassaria R$ 3,8 bilhões para o setor cultural

06 de abr de 2022

Em Manacapuru, deputado conversou com cerca de 140 agentes comunitários de saúde

Redação: Scriptum

Em mensagem nas redes sociais, o deputado federal Sidney Leite, do PSD do Amazonas, condenou nesta quarta-feira (6) o veto do presidente Jair Bolsonaro à Lei Paulo Gustavo, que repassaria R$ 3,8 bilhões para ações emergenciais no setor cultural em todo o País. “Enquanto dormíamos”, afirmou Leite, “a lei foi vetada. Isso é um desrespeito com um dos setores que mais sofreram com os impactos da pandemia no País. Vamos à luta pela derrubada do veto!”

Segundo a justificativa do governo, a proposição legislativa “enfraqueceria as regras de controle, eficiência, gestão e transparência”, o que poderia furar o teto de gastos.

Manacapuru

Na segunda-feira (4) o deputado esteve em Manacapuru para conversar com cerca de 140 agentes comunitários de saúde (ACS) daquele município. Também participaram do encontro a vice-prefeita Valcileia Maciel, o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Balbi, e o coordenador dos ACS´s, enfermeiro Felipe.

Foram abordados diversos temas. Na Câmara, Sidney Leite votou a favor da PEC 22/2011, que fixa regras para a remuneração dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias. “Sabemos como é difícil o trabalho desse profissional no interior do Estado do Amazonas. A valorização do agente comunitário é uma das minhas lutas em Brasília”, disse Leite.

Informações Partidárias

Notícias