Loading

Pesquisar

MT: Para ser o maior partido, PSD precisa passar pelo crivo das urnas

24 Horas News (07/03/2012) – Para o novo coordenador da bancada federal de Mato Grosso, deputado Homero Pereira, a sigla precisa sair das urnas como o maior partido de Mato Grosso.

07 de mar de 2012 · eleições, Homero Pereira, Mato Grosso, PSD

O novo coordenador da bancada federal de  Mato Grosso, deputado Homero Pereira (PSD), disse que, apesar de a sigla criada no ano passado já figurar como o maior partido político do Estado, a verdade só será mostrada depois das eleições municipais de 2012. “O partido ainda não passou pelo crivo do voto do eleitor, que é a maior pesquisa de opinião pública que existe e a que mostra realmente a realidade dos fatos. Para se consolidar realmente, o PSD precisa sair das urnas como o maior partido de Mato Grosso”, afirmou o parlamentar em entrevista ao portal 24 Horas News, de Cuiabá (MT).

Para ele, o fato do PSD ter hoje cerca de 50 prefeitos, 30 vice-prefeitos e mais de 350 vereadores prova a grande liderança política que exerce hoje o atual presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, secretário-geral do partido – uma vez que o PSD foi recriado em Mato Grosso para agrupar todos os apoiadores e simpatizantes de Riva, que estavam filiados em praticamente todos os partidos e a única maneira de juntá-los sem comprometer os cargos que ocupam (poderiam ser cassados por infidelidade partidária) seria por meio da criação de uma nova sigla, onde a legislação garante o exercício dos mandatos dos novos filiados, sem nenhum prejuízo. Daí a decisão do grupo “rivista” de embarcar na ideia do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

“Com o objetivo de sair das urnas como o maior partido de Mato Grosso, o PSD está lançando mais de 80 candidatos a prefeitos, cerca de 60 candidatos a vice-prefeito e mais de 1.000 candidatos a vereador. O partido espera, com isso, fazer uma grande base de sustentação já com vistas às eleições de 2014, quando pretendemos disputar a sucessão do governador Silval Barbosa (PMDB)”, disse Homero.

De acordo com o 24 Horas News, Homero Pereira defende que o PSD lance candidato próprio em todos os grandes municípios do Estado, inclusive em Cuiabá, maior colégio eleitoral. “Um partido novo, para se firmar, não pode abdicar do direito de  ter candidatos nos municípios mais representativos, principalmente na capital do Estado”, explicou.

Nomes, de acordo com ele, não seriam um grande problema para o partido, uma vez que possui lideranças como o vereador Edivá Alves; o ex-deputado e atual secretário especial da Prefeitura de Cuiabá, Carlos Brito, que tem uma base eleitoral respeitável em Cuiabá; e até mesmo o atual presidente do Clube de Diretores Lojistas de Cuiabá (CDL), Paulo Gasparotto, que, na visão de Homero, é um nome que pode fazer frente a qualquer candidato que estiver na disputa.

Segundo Homero Pereira, a decisão do partido de entregar todos os cargos ao governador Silval Barbosa para que ele fique mais à vontade na realização de uma reforma administrativa, como pede parte da sociedade e da própria base aliada do governo, diante do quadro de dificuldade econômica que a administração pública atravessa, foi acertada porque o PSD não precisa de cargos para ajudar na governabilidade do Estado.

“Pelo fato de não ter sido votado nas eleições anteriores, o PSD não teve poder de negociação dos cargos; eles vieram por meio de companheiros que estavam em outros partidos. Então, acredito que o certo é realmente entregar todos os cargos que teoricamente pertencem ao PSD e aguardar a reforma administrativa. Aí, sim, no momento certo, sentar com o governador e ver qual o espaço que ele vai destinar para o nosso partido dentro da sua administração”, afirma o coordenador da bancada.

Informações Partidárias

Notícias